Hedeson A. Silva
Placas em que não se pode ler o limite
de velocidade devido ao vandalismo.

O Paraná tem a segunda pior malha viária (rodovias) do Brasil, perdendo apenas para a Bahia. A constatação foi feita pela equipe que elaborou o Guia Rodoviário 2004, uma das publicações mais respeitadas na área, vinculada à revista Quatro Rodas.

Foi detectado que a extensão de trechos considerados precários no Estado aumentou 19,5% em relação ao último guia, lançado em 2003. São 816 quilômetros de estradas esburacadas. A BR-487, entre Iretama e Reserva, foi considerado o pior trecho do Paraná, com 174 quilômetros de buracos.

Segundo Antônio Campos, redator-chefe do guia, os critérios para a avaliação das estradas são: buracos, asfato gasto, se o motorista precisa de vigilância constante e não possa superar o limite médio de 60 Km/h. (Leia mais na edição de amanhã do jornal O Estado do Paraná)