Em 2006 a Appa (Administração dos Portos de Paranaguá e Antonina) promoverá três importantes eventos voltados ao setor portuário e participará de outras duas tradicionais feiras de logística. Já em abril, dois encontros simultâneos serão realizados entre os dias 4 e 6 em Curitiba: o I Encontro Brasil Portuário – a legislação portuária brasileira está na pauta de discussão – e o I Encontro de Portos Latino-Americanos que abordará questões de logística e desenvolvimento.

Os encontros de abril serão realizados em parceira com o Centro Universitário Positivo (Unicemp) – sede dos dois eventos. O primeiro deverá reunir superintendentes, diretores e assessores jurídicos dos portos brasileiros. O superintendente da Appa, Eduardo Requião, defenderá a reavaliação da lei 8.630, implantada ainda no governo Collor (1990-1992) e que, hoje, não representa mais a realidade do sistema portuário nacional.

?A discussão e reavaliação dessa lei é urgente, pois dela depende o futuro do sistema portuário brasileiro. Esta lei, inclusive, estranhamente, é a única herança do governo Collor que não gera reclamações de nenhum segmento ligado à marinha mercante. Vamos propor sua reavaliação e, se necessário, questionar o governo federal e a classe política sobre sua validade nos dias atuais?, questiona Eduardo Requião.

?A lei 8.630 foi implantada em fevereiro de 1992 e desde então o Brasil passou por mudanças radicais em seus processos políticos, econômicos e sociais?, observa.

Com o evento internacional ? que vai reunir dirigentes e técnicos de portos latino-americanos – o objetivo é fortalecer os portos brasileiros e estabelecer novas linhas de comércio, além de estreitar o relacionamento e parceria com portos de países irmãos. O encontro de portos latino-americanos foi propostas por dirigentes portuários do Chile, Venezuela Portugal durante as missões paranaenses nesses países.

Ainda em abril, a Appa participará da 12ª edição da Intermodal South América. No evento no Transamérica Expo Center, em São Paulo, o Porto de Paranaguá terá um estande de 200 m² em regime cooperado com as empresas que atuam no terminal. ?O estande vai proporcionar maior visibilidade e conforto para reuniões, apresentações e debates sobre novos negócios. Essa feira é considerada a mais importante do país para a Marinha Mercante?.