A partir desta semana, 94 Centros de Formação de Condutores do Paraná estão autorizados a ministrar os cursos de reciclagem para motoristas infratores, obrigatórios para quem teve a carteira de habilitação suspensa. O objetivo é ampliar a oferta de locais, datas e horários dos cursos, que continuam sendo ofertados também pelo Detran. As empresas são credenciadas pelo órgão, de acordo com uma série de critérios que garante o controle da qualidade dos cursos e da frequência dos alunos.

?O objetivo é dar aos paranaenses alternativas aos cursos oferecidos regularmente pelo Detran, que não consegue ter turmas no mesmo ritmo das suspensões de carteiras de habilitação?, disse o diretor-geral do Departamento, Marcos Traad. ?Mesmo tendo dobrado o número de cursos em 2011, não temos equipe e locais de atendimento suficientes para atender a demanda. Chegamos ao nosso limite e sozinhos não conseguiríamos prestar o serviço para um número cada vez maior de motoristas suspensos.?

No ano passado foram abertas 55.022 vagas de reciclagem em todo o Estado, aumento de 135% em comparação com 2010. O número de instrutores para os cursos passou de 46 para 94 profissionais e atualmente as aulas são ofertadas em 45 unidades da autarquia. ?O Governo do Paraná entende que tem o compromisso de promover o equilíbrio entre a procura pelo curso de reciclagem e a capacidade de atendimento aos motoristas. Os usuários continuam tendo a opção de fazer o curso no Detran, com o preço e a qualidade de sempre, e passam a contar com mais uma possibilidade?, afirma Traad.

Até a tarde desta quarta-feira (4), a lista de CFCs autorizados trazia 59 autoescolas em Curitiba, 13 em Londrina, nove em Maringá, sete em Guarapuava e seis em Cascavel. O credenciamento continua aberto para empresas interessadas, que devem procurar a Controladoria Regional de Trânsito. Com isso, o número de locais de aulas pode chegar a 900 em todo o Estado e envolver cerca de 5 mil profissionais.

Para o presidente do Sindicato dos Proprietários Centros de Formação de Condutores do Paraná, Justino Rodrigues da Fonseca, a principal vantagem da descentralização é atender condutores que moram em cidades onde não há unidade do Detran. ?As pessoas não precisarão se deslocar até outro município, pois farão as aulas no CFC mais próximo?, disse.

CONTROLE ? Para ministrar os cursos de reciclagem, as autoescolas devem seguir o manual de procedimentos e todos os instrutores devem passar por treinamento com uma equipe do Detran.

O material didático usado nas aulas será aprovado previamente pelo Detran e a Coordenadoria de Educação para o Trânsito do Departamento programa uma série de palestras e workshops em conjunto com as empresas.

Todas as aulas serão gravadas, as imagens armazenadas em sistema informatizado e a presença dos alunos será confirmada por biometria, com verificação das impressões digitais no início e final das aulas.

MATRÍCULAS ? Antes de se matricular para o curso nas autoescolas, o motorista precisa, obrigatoriamente, entregar a carteira de habilitação suspensa em uma unidade do Detran, onde receberá um número de protocolo.

No site www.detran.pr.gov.br, no menu Prestadores de Serviço, link CFCs, é possível consultar a relação de Centros de Formação de Condutores que ofertam os cursos em cada cidade.

A carga horária continua sendo de 30 horas/aula, com possibilidade de dividir em quatro módulos: Legislação de Trânsito (12h/a), Direção Defensiva (8h/a), Noções de primeiros socorros (4h/a), Relacionamento Interpessoal (6h/a).