Clubes, escolas e centros esportivos podem ser obrigados a disponibilizar um cirurgião dentista em competições e outros eventos para prevenir acidentes com traumas dentários. A medida faz parte de um projeto de lei (n.º 5.391/2005) em trâmite na Câmara Federal, segundo o presidente da Associação Brasileira de Odontologia (ABO), Norberto Francisco Lubiana. Ele esteve ontem, em Curitiba, na abertura do VIII Congresso Internacional de Odontologia do Paraná (Ciopar), organizado pela regional paranaense da ABO. O evento acontece até amanhã no Estação Embratel Convention Center.

Hoje em dia, crianças, adolescentes e adultos praticam diversas modalidades esportivas sem a devida orientação. O risco de quedas e choques é permanente. Lubiana destaca que somente os praticantes de boxe usam protetores bucais para evitar acidentes. ?Isso é necessário também em outros esportes. Por falta de orientação, uma pessoa pode sofrer fraturas e a retirada do dente. Há danos biológicos, funcionais, estéticos e psicológicos, além dos custos dos tratamentos?, afirma.

Para Lubiana, é necessário levar informação e prevenção às crianças e adultos. ?O dentista em um centro esportivo também promoveria a saúde bucal. O esportista tem um rendimento inferior quando possui problemas dentários?, sinaliza.

Congresso

A saúde bucal foi um dos temas abordados no Ciopar. Ontem, coordenadores de órgãos públicos de saúde do Brasil e de Cuba comentaram este assunto durante o evento. O presidente da regional Paraná da ABO, Ermenson Luiz Jorge, explica que este é um congresso que atende todas as especialidades da odontologia, mas que enfatiza também a parte científica e assuntos de saúde pública. O evento está oferecendo 25 cursos de várias especialidades e 90 conferências de temas livres. A expectativa da organização é receber seis mil pessoas em três dias, entre participantes e congressistas.