Imagine um lugar que precisa de pessoas – de forma presencial – para se tornar um negócio rentável, mas que foi impedido de funcionar por força maior. Foi uma verdadeira dor de cabeça para muitos empreendedores que passaram a conviver com essa realidade desde março de 2020, quando a pandemia mundial do coronavírus chegou ao Brasil.

Os proprietários de academias de ginástica tiveram essa dor duplicada já que o setor está no grupo de atividades mais afetadas pela crise sanitária e econômica no Brasil. A informação foi confirmada pela 11ª edição da Pesquisa de Impacto da Pandemia de Covid-19 nas Micro e Pequenas Empresas, realizada pelo Serviço Brasileiro de Apoio as Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), em parceria com a Fundação Getúlio Vargas (FGV).

Mas é do meio desse caos que surgiu uma história de sucesso de dois novos empresários de Paranaguá, cidade pólo do Litoral do Paraná. Eles abriram a academia Focus em fevereiro de 2020 e no mês seguinte decidiram fechar as portas – antes mesmo do primeiro decreto municipal que fechava estabelecimentos como forma de prevenir a contaminação pelo vírus.

+ Leia mais: Empresário de Curitiba cria lanche inovador em formato de U e faz sucesso nas feiras; Conheça o Quizzy

Neste período, eles tinham 30 alunos e apenas dois funcionários. Passado um ano e seis meses, o número total é de 172 alunos, com um total de sete funcionários, além de outros profissionais trabalhando de forma autônoma, mas agregando novos serviços no centro de treinamento.

Os empreendedores Verediane Costa Maria, de 26 anos e Felipe Zeppelini, de 34 anos provam que a pandemia é um desafio que vem sendo superado. “Pesquisamos muito e conseguimos ter um estúdio personalizado, diferenciado. Desde o início já sabíamos que a Focus seria um sucesso, pois depositamos todo nosso amor e energia. Precisamos estar conectados e reinventando”, lembra Verediane.

Energia no meio digital

E como alcançar bons resultados quando você segue numa categoria que foi a mais prejudicada com a pandemia? Eles respondem que o uso da tecnologia e redes sociais foi essencial, mostrando que a transformação digital foi assimilada e incorporada dentro das exigências da nova realidade onde a tecnologia avança muito rápido.

O exemplo disso está na ação. Ao decidirem fechar as portas, a primeira atitude foi garantir atendimento aos alunos com aulas online. Além disso, eles iniciaram um programa, só para mulheres, visando condicionamento físico e dicas nutricionais usando o whatsapp. Mesmo com a volta das atividades de forma presencial, o grupo foi mantido e o trabalho continua paralelamente no mundo virtual até nos dias de hoje.

Foram aulas ao vivo e gravadas, dicas de exercícios físicos, fotos, vídeos e muita informação colocadas à disposição diariamente nas redes sociais. Foram feitas ‘lives’ ao vivo e gratuitas.

+ Veja também: Nenhum caso de trombose é registrado com Astrazeneca em menores de 40 anos

Verediane, que é profissional de Educação Física, acompanhou as tendências e as colocou em prática, enquanto que o noivo Felipe, que é engenheiro por formação acadêmica, agora é o mais novo ‘estagiário’ de Educação Física na própria academia.

O esforço no mundo virtual surtiu efeito, inclusive, no aumento da equipe. Hoje, o Centro de Treinamento conta com quatro professores de Educação Física e funcionários na limpeza e recepção. Agregam ao serviço profissionais de nutrição e fisioterapia que atendem no centro.

Nova tecnologia

Casal de empreendedores viu o negócio crescer na pandemia. Foto: Divulgação

Além do uso de redes sociais e plataformas para aulas, os empreendedores criaram um aplicativo que, agora, é usado para marcar o horário da aula presencial.

“A capacidade do estúdio é para 14 alunos por aula, mas só são permitidas sete pessoas a cada meia hora para garantir as medidas de segurança e sempre com um professor formado em todos os horários para acompanhamento”, explica Verediane.

Todos os alunos fazem como o Bruno Silvério do Rosário, 23, que frequenta o centro de treinamento desde que foi aberto. Eles usam o aplicativo para facilitar o acesso. “E sempre que a gente tem dúvidas, nós temos respostas muito rápido”, garante Bruno.

Além do agendamento, o aplicativo avisa sobre vencimento do contrato, fornece a ficha de treino, o resultado da avaliação física e ainda serve para interação entre aluno e professores.

+ Viu essa? Como saber se a depressão está piorando? Fique atento aos sinais

Quem frequenta o ambiente tem álcool em gel e papel à disposição para higienizar as mãos e os equipamentos e, toda semana, acontece a sanitização no espaço.

Todos os procedimentos tomados resultaram no certificado garantido pelo Sebrae a empreendimentos que passaram pela consultoria do processo de implantação de condutas de prevenção à covid-19. Junto ao Sebrae, os novos empresários também têm participado de curso para empreendedores sobre tecnologia. Aliás, eles foram uma das 10 empresas selecionadas para participar do curso.

Hoje a cidade mantém um alto nível de imunização, com mais de 80% do público alvo vacinado. O município contabiliza 20.130 pessoas recuperadas e 543 mortes, mais de 90 mil pessoas já foram vacinadas com a primeira dose e 44.150 com a segunda dose.

Com o avanço da vacinação, a expectativa é que as medidas de segurança sejam amenizadas, o que vai contribuir com a recuperação econômica das 2.599 micro e pequenas empresas abertas, só no ano de 2020, em Paranaguá.

O casal de empreendedores garante que continuará acompanhando os avanços tecnológicos e aproveitando os conceitos para continuar crescendo neste ramo de negócios.