A epidemia de dengue está muito forte no Rio e também se faz presente em cidades do Paraná.
Não temos casos autóctones, mas

não podemos nos descuidar
Luciano Ducci, vice-prefeito de Curitiba.

A dengue não está dando folga em diversas partes do País. Em Curitiba, até agora, só foram registrados casos importados da doença. Entretanto, a prevenção não pode ser deixada de lado. Ontem, na Vila Verde, Cidade Industrial de Curitiba (CIC), a Prefeitura promoveu um mutirão para identificação e eliminação de possíveis criadouros do mosquito Aedes aegypti.

Durante a manhã, 110 agentes de saúde percorreram 3,7 mil casas localizadas dentro da Vila Verde realizando uma varredura nos terrenos e trabalhos de orientação à população. Durante a ação, os agentes procuravam por água parada em vasos, pneus, garrafas velhas e outros recipientes.

?A epidemia de dengue está muito forte no Rio de Janeiro e também se faz presente em algumas cidades do Paraná. Não temos casos autóctones da doença na capital, mas não podemos nos descuidar. Temos que evitar que o Aedes aegypti encontre locais adequados para se desenvolver?, disse o vice-prefeito de Curitiba, Luciano Ducci.

A ação na Vila Verde foi desenvolvida pelas secretarias municipais da Saúde, Defesa Social, Meio Ambiente e Defesa Civil. Nas próximas semanas, também deve ser realizada em outras regiões da cidade. Além disso, serão promovidos trabalhos preventivos da rodoferroviária e no aeroporto internacional Afonso Pena, em São José dos Pinhais. ?Na rodoferroviária e no aeroporto, vamos estar orientando as pessoas que vão e retornam de áreas de maior risco de contaminação pelo mosquito da dengue?, explicou Ducci.