Um narrador esportivo aposentado morreu e duas pessoas ficaram feridas em mais um grave acidente entre um carro e um ônibus biarticulado na esquina entre a Avenida Visconde de Guarapuava e a Travessa da Lapa, no Centro de Curitiba, na manhã desta quinta-feira (02). O local já foi palco de vários outros acidentes graves, apesar de estar bem sinalizado. A imprudência dos motoristas é apontada como principal causa das colisões.

Quintiliano Machado Neto, 80 anos, conduzia o Fiesta AID-4389, acompanhado de Alberto Beckman, 44 anos, pela faixa da esquerda da Avenida. O veículo deles foi colhido por volta das 10h pelo biarticulado da empresa Pontual, prefixo BD130, que fazia a linha Santa Cândida / Capão Raso e seguia da Praça Eufrásio Correia para a Estação Central.

A marca de frenagem do biarticulado tinha mais de cinco metros. O Fiesta foi arrastado até o espaço entre as duas pistas da avenida. Quintiliano morreu na hora. Socorristas do Siate chegaram minutos depois e encaminharam Alberto para o Hospital Evangélico, em estado grave. Uma mulher que se feriu dentro do ônibus lotado durante a frenagem pediu aos bombeiros que priorizassem o atendimento a Alberto, e disse que procuraria um hospital por meios próprios. O condutor do biarticulado, Ubirajara Cunha da Silva, 61 anos, ficou extremamente abalado.

A Visconde de Guarapuava ficou interditada no trecho entre as ruas João Negrão e Barão do Rio Branco. Às 11h30 a pista da direita foi liberada, e por volta do meio dia o biarticulado foi removido para liberar a pista da esquerda. O trânsito ficou congestionado em todas as ruas próximas.

 Causas

As versões sobre a culpa do acidente são muito diferentes. O pedreiro Robson Rodrigues Monteiro trabalhava em uma obra na Avenida, próximo ao local do acidente, e garante que viu quando o sinal fechou, um carro branco parou na faixa da direita e o Fiesta avançou o sinal.

Já a estudante Eliane Maria, que estava próximo á entrada de uma loja na Travessa da Lapa, afirma que viu o biarticulado acelerar quando o sinal estava amarelo. “O motorista disse para nós que estava muito embalado e não conseguiu parar”, conta.

Para o subtenente Anísio, do Batalhão de Polícia de Trânsito, é prematuro dizer de quem foi a culpa. “Apenas a perícia poderá indicar qual dos veículos pode ter furado o sinal”, afirma.

Confira a galeria de fotos do acidente.