Mais um grave acidente envolvendo ônibus resultou em morte na Travessa da Lapa, no Centro. A vítima foi o empresário Jorge Antônio Benedito Moreira, 26 anos, que dirigia o Honda Civic placa AZK-1818, por volta das 5h30 de ontem. No ônibus, que levava cerca de 20 motoristas e cobradores para o serviço, ninguém ficou ferido.

Jorge administrava equipes de manobristas, que estacionam carros de clientes em frente a casas noturnas, e voltava para casa após a madrugada de trabalho. Testemunhas relataram aos bombeiros que ele avançou o sinal vermelho, na Rua André de Barros, e foi atingido pelo ônibus prefixo BC180, que seguia na direção da Avenida Visconde de Guarapuava.

A colisão foi tão forte que a frente do carro ficou embaixo do ônibus e Jorge, preso nas ferragens. Várias equipes dos bombeiros trabalharam no resgate, mas ele não resistiu aos ferimentos. Um ocupante do ônibus caiu, mas não se feriu.

Reincidência

Em agosto, o narrador esportivo aposentado Quintiliano Machado Neto, 80, morreu ao bater o Fiesta que dirigia contra um ônibus, no cruzamento da Travessa da Lapa com a Avenida Visconde de Guarapuava. Outras duas pessoas ficaram feridas. No mesmo mês, o sargento Leonardo Pinheiro da Silva, 35, da Aeronáutica, ficou ferido ao bater seu Palio num coletivo, na mesma esquina do acidente de ontem.

Inúmeras colisões foram registradas nos últimos anos, na Travessa da Lapa, principalmente naqueles dois cruzamentos. Alguns deles resultaram em mortes e deixaram várias pessoas feridas. Especialistas em trânsito acreditam que estes pontos dever ser analisados pelas autoridades, embora admitam que, como os cruzamentos são sinalizados, os acidentes só ocorrem porque algum motorista avança o sinal vermelho. Uma das soluções apontadas é a redução do limite de velocidade, em trechos da Travessa da Lapa, de 60 para 40 quilômetros por hora.