Com a chegada do inverno, aumenta o número de acidentes envolvendo balões no Paraná. Os meses mais propícios para essa perigosa brincadeira são maio, junho e julho, em razão das festas juninas.

No ano passado, o Corpo de Bombeiros (CB) registrou quinze incêndios ou princípios de incêndio causados por balões na região de Curitiba. Onze dessas ocorrências foram registradas nesses meses.

Subnotificação

O tenente Leonardo Mendes, do CB, afirmou acreditar que o número de acidentes envolvendo balões é maior que o apontado pelas estatísticas oficiais. Segundo ele, as estatísticas mostram apenas os casos atendidos na região urbana.

“Muitos casos acontecem na zona rural, provocado queimadas, sem que sejam identificados como provocados por balões”, explicou Mendes. O tenente destaca que a única solução para evitar maiores problemas é a conscientização das pessoas.

Baloeiros

Mendes acredita que as pessoas que fazem e soltam balões, os chamados baloeiros, podem ser convencidos do perigo que estão oferecendo à sociedade. Mas para o tenente, o enfoque da conscientização deveria ser outro.

“Os primeiros a se conscientizar deveriam ser as pessoas que não fazem balões e apenas assistem. Elas devem ligar para a Polícia Militar e denunciar as pessoas que estão soltando balões”, destacou.

Crime

O bombeiro lembrou que soltar balões é crime contra a flora, previsto no Código Penal Brasileiro desde 1998. “A pena prevista é de uma três anos de prisão ou multa, ou ainda prisão e multa, dependendo da gravidade”, explicou.