Autora da ação judicial que resultou na suspensão do feriado, a Associação Comercial do Paraná (ACP) declarou que é “inteiramente solidária às manifestações cívicas visando o resgate e a valorização da Consciência Negra, em apreço à presença histórica e grande contribuição de afrodescendentes no processo de desenvolvimento do nosso Estado”.

Em nota, a entidade afirmou que “em nenhum momento se deixou pautar pelo viés da discriminação, embora não encontre razões para se desviar do cristalino argumento dos pesados prejuízos ao setor produtivo , além da flagrante inconstitucionalidade da decretação do feriado”. O texto ainda diz que a instituição obteve, em caráter liminar, a suspensão do feriado do Dia da Consciência Negra e aguardará “com todo o respeito” o julgamento do mérito da Ação Direta de Inconstitucionalidade protocolada pela entidade no Tribunal de Justiça. A ACP estima que os prejuízos ao comércio e indústria com o feriado chegariam a R$ 160 milhões.