Alessandro Meneghel, pecuarista que confessou ter matado o policial federal Alexandre Drumond Barbosa em abril de 2012, foi condenado a 34 anos e seis meses de prisão. A decisão foi divulgada no Tribunal do Júri, por volta das 4h desta quinta-feira (23). O julgamento de Alessandro Meneghel durou dois dias.

O júri popular que definiu o futuro do acusado foi composto por cinco homens e duas mulheres, todos de Curitiba. Oito testemunhas, duas de acusação e seis de defesa, foram ouvidas.

A promotoria defendeu a tese de que Alessandro Meneghel voltou ao local do crime com a intenção de matar o policial federal. A acusação mostrou o acusado como um homem impulsivo e resgatou históricos de brigas familiares. A violência do crime, que foi cometido por muitos disparos de arma de fogo, também foi detalhada.

Julgamento de Alessandro Meneghel terminou com uma condenação de 34 anos de prisão. Foto: Divulgação.
Julgamento de Alessandro Meneghel terminou com uma condenação de 34 anos de prisão. Foto: Divulgação.
Advogado vai recorrer ao Tribunal de Justiça após o resultado do Julgamento de Alessandro Meneghel. Foto: Divulgação.
Advogado vai recorrer ao Tribunal de Justiça após o resultado do Julgamento de Alessandro Meneghel. Foto: Divulgação.

Vai recorrer

O advogado Claudio Dalledone Junior, que representa o pecuarista, afirmou com a decisão em mãos que vai recorrer ao Tribunal de Justiça pela anulação do julgamento. “Confio na Justiça e é por isso que vou buscar a nulidade do julgamento, pelo flagrante de cerceamento de defesa. Esse júri vai ser anulado e voltar a acontecer em Curitiba”, afirmou.

Apesar da decisão que não era esperada pela defesa, o advogado disse ter saído das mais de 30 horas de julgamento com a consciência tranquila. “Um júri muito longo, muito cansativo, fomos muito pressionados. Mas me sinto com a sensação de dever cumprido. Combatemos o bom combate, não nos abatemos e estamos aí para um próximo julgamento”.

Relembre o caso

O pecuarista Alessandro Meneghel matou a tiros o policial federal em frente a uma casa noturna de Cascavel, no Oeste do Paraná. Ele foi preso em flagrante na madrugada do dia 14 de abril de 2012. Já na época do crime, Alessandro confessou, mas alegou legítima defesa.

O Ministério Público do Paraná (MP-PR), porém, o denunciou dizendo que ele provocou o policial dentro da casa noturna e fez uma ameaça. Segundo o MP-PR, depois de sair da casa noturna, o pecuarista voltou e matou o policial.