Foto: Ciciro Back/O Estado

Com apenas R$ 20, o passageiro pode dormir por uma hora.

Quem precisa ficar horas no Aeroporto Internacional Afonso Pena, em São José dos Pinhais, à espera do vôo não tem mais que aguardar desconfortavelmente sentado em uma cadeira no saguão. Com apenas R$ 20 é possível dormir por uma hora em uma confortável cama em um quarto com ar- condicionado, televisão e aparelho de DVD. Mas se a necessidade é de bom banho antes de seguir para um compromisso, pagando R$ 15 é possível desfrutar de um agradável ducha de até 20 minutos. A grande novidade é que o cliente pode desfrutar desses serviços sem sair do aeroporto.

A comodidade está disponível, por enquanto, no Aeroporto Internacional Afonso Pena, em Curitiba. O administrador de empresas, que atuava no ramo de marcenaria, Walter de Castro Júnior é quem teve a idéia. ?Uma vez fiquei 14 horas no aeroporto em São Paulo aguardando pelo vôo. Nesse período eu vi muita gente dormindo pelo chão e, então, comecei a pensar em um local onde seria possível descansar enquanto esperava?, comentou. Quando voltou para Curitiba resolveu colocar a idéia em prática. Oito meses depois já estava com o Fast Sleep montado.

Para conseguir o espaço de 100 metros quadrados no aeroporto – para a montagem dos 16 quartos -precisou passar por processo de licitação na Infraero. O investimento no local foi de cerca de R$ 200 mil. Apesar de estar funcionando em Curitiba há dois meses, Castro está expandindo os negócios e aguarda a homologação da licitação para construir um serviço no aeroporto de Guarulhos, em São Paulo. Além do descanso e banho, irá oferecer mini cinema – com 12 cadeiras -, academia, lavanderia e centro de estética. Também estão previstas unidades nos aeroportos de Salvador, Recife, Fortaleza, Belém, Manaus, Minas Gerais e Porto Alegre. O investimento total será de R$ 4,5 milhões e o empresário espera ter o retorno em seis anos.

A proposta do Fast Sleep não cria concorrência com a rede hoteleira, pois a permanência máxima é de quatro horas. Em Curitiba o serviço funciona das 7h às 22h, mas em São Paulo ficará aberto 24 horas.

Quem já utilizou os serviços aprovou. Foi o caso do turismólogo Thiago Henrique Elias de Sousa, que chegou em Curitiba cinco horas antes do vôo. Ele veio de Joinville para embarcar para São Paulo e depois Brasília e, quando ofereceram o serviço no saguão do aeroporto, até pensou que era uma brincadeira. ?Eu tinha acabado de brigar com minha namorada e achei que poderia ser uma gozação dela?, comenta.