O governo do Paraná alterou as regras para contratação de policiais militares inativos que farão o policiamento de escolas públicas estaduais após a convocação inicial ter sido suspensa temporariamente em razão da baixa procura. Decreto publicado nesta terça-feira (2) estabelece aos soldados voluntários do chamado programa Escola Segura remuneração mínima de R$ 3 mil mensais, com valores superiores para cabos (R$ 3,3 mil) e terceiros (R$ 3.564) e segundos sargentos (R$ 3.813).

+ Fique esperto! Perdeu as últimas notícias sobre segurança, esportes, celebridades e o resumo das novelas? Clique agora e se atualize com a Tribuna do Paraná!

Publicado nesta quarta-feira (3), o edital 004/2019 prorroga o prazo de inscrição – que inicialmente ia até o dia 30 de março -, para o dia 12 de abril. O resultado deve ser anunciado até o dia 30 de abril e a previsão é que os policiais comecem a atuar nas escolas a partir do dia 10 de maio.

O edital anterior, publicado em 18 de março, previa pagamento de R$ 113 por dia de trabalho. Além disso, apenas soldados de 1ª classe transferidos para a reserva poderiam se inscrever para participar do projeto. O processo foi suspenso temporariamente no dia 29, um dia antes do prazo final para inscrições.

+ Leia mais: Após confusão envolvendo a imprensa, audiências do caso Daniel chegam ao terceiro dia

Neste primeiro momento do programa, além das 74 vagas para escolas de Londrina, no Norte do estado, e 46 vagas para Foz do Iguaçu, no Oeste, já previstas no primeiro edital, foram reservadas outras 80 vagas para a Região Metropolitana de Curitiba.

A remuneração mínima de R$ 3 mil e a possibilidade de participação de cabos e sargentos da reserva, além de seguro de vida, foram reivindicações feitas pelos policiais militares. Em entrevista ao telejornal Meio-Dia Paraná, da RPCTV, o secretário chefe da Casa Civil, Guto Silva, disse que o governo levou em consideração os pedidos da categoria e que todos os voluntários terão direito a seguro de vida com a mesma cobertura dada aos policiais da ativa.

+ Leia ainda: Denúncia de maus-tratos deixa pais em pânico e causa debandada em escola

O programa Escola Segura pretende alocar dois policiais em 100 escolas do estado. Eles irão se revezar nos turnos das aulas com o objetivo de reforçar a proteção de alunos, pais e funcionários, além de prevenir a depredação dos prédios, combater o uso o comércio de drogas e o bullying. O Paraná tem, atualmente, 2.143 escolas estaduais.

Originalmente previsto para maio, o lançamento do programa foi antecipado após o massacre que resultou em dez mortes em uma escola de Suzano, na Grande São Paulo, no último dia 13 de março.

Confira o edital 004/2019:

 

Mulher capota carro e fica presa dentro do veículo após acidente em bairro de Curitiba