A falta de estrutura em laboratórios fez com que alunos do curso de Design da Universidade Federal do Paraná (UFPR) realizassem ontem um panelaço para chamar atenção para as condições oferecidas aos estudantes. A mobilização aconteceu na Reitoria da UFPR, no centro de Curitiba.

De acordo com os alunos, existe uma verba do Programa de Apoio ao Plano de Reestruturação e Expansão das Universidades Federais (Reuni), no valor de R$ 300 mil, para a reforma dos laboratórios. No entanto, o recurso ainda não foi utilizado.

O espaço destinado aos estudantes do curso, no 12.º andar do Edifício Dom Pedro I, na Reitoria, foi construído na década de 1970 e nunca passou por reforma. Segundo João Pedro Mion, diretor de relacionamento docente-discente do Centro Acadêmico de Design da UFPR, a condição dos laboratórios está muito precária.

As salas de marcenaria, cerâmica, pintura e outras modalidades estão com infiltrações, goteiras e janelas quebradas. Parte dos 300 alunos do curso (por ano) ainda realiza atividades nos laboratórios. Mas a maioria dos estudantes acaba fazendo seus trabalhos em casa ou “onde dá”, conforme Mion.

Ele revela que a verba para a reforma dos laboratórios pode ser perdida caso não seja utilizada até o final do ano. “O dinheiro não foi usado até agora por burocracia dentro da universidade. Já existe projeto e orçamento para a reforma. Mas falta ação. Faz tempo que tentamos marcar uma reunião com o reitor”, comenta.

Depois da manifestação, os estudantes foram recebidos pela administração da UFPR, que esclareceu que os projetos hidráulico e elétrico já foram elaborados e a estimativa é de que seja aberto em 30 dias o processo de licitação para contratar a empresa que vai fazer a obra.

As obras devem começar em janeiro de 2010 e se estender por 90 dias. “O 12.º andar vai ser totalmente reformulado e o recurso para a obra já está definido. Ou seja, havendo a licitação, a verba está garantida, mesmo que as obras só comecem no ano que vem”, esclareceu a pró-reitora de Assuntos Estudantis da UFPR, Rita de Cássia Lopes.