Dia de retorno às aulas na rede estadual de ensino do Paraná nesta quarta-feira (21), mas a adesão dos alunos foi considerada baixa nesta manhã. Em Londrina, no norte do estado, apenas um estudante compareceu a um colégio, mas apesar disso, a Secretaria de Estado da Educação e do Esporte (Seed-PR), acredita ser normal o retorno gradativo ao ambiente escolar. O sistema segue híbrido nas escolas, ou seja, uma semana em casa e outra perto do professor.

LEIA MAIS

> Paraná recebe e distribui mais 377 mil doses de vacinas de três laboratórios

> Vereador de Curitiba propõe uso de pulseira eletrônica para bebês em maternidades

> Curitiba volta a aplicar 1ª dose na quinta e convoca pessoas de 38 e 37 anos

De acordo com a Seed, um milhão de alunos devem voltar às aulas ao longo desta quarta. São 2,1 mil escolas que irão abrir os portões aos professores, estudantes e servidores após o recesso escolar provocado por férias ou mesmo pela pandemia do coronavírus, sendo 149 em Curitiba. O retorno é considerado seguro pelo governo estadual devido à queda na taxa de transmissão do coronavírus nos municípios e à vacinação dos profissionais da educação. Apesar disto, a queda na presença dos alunos nesta manhã nos colégios foi verificada em várias cidades.

Segundo Roni Miranda Vieira, diretor de ensino da Seed, a baixa adesão já era esperada para o primeiro dia. “A gente já esperava por isso, especialmente nas escolas que estão retornando hoje ao presencial. Peço aos pais que procurem as escolas, e é muito importante que seu filho retorne. A aprendizagem está comprometida devido à pandemia, por mais que tenha sido dado acesso às aulas remotas, não é a mesma qualidade de um aluno na sala de aula, interagindo com o professor e colegas”, disse o diretor em entrevista ao jornal Bom Dia Paraná, da RPC. 

Ainda de acordo com Vieira, as escolas são ambientes com baixo risco de contaminação com o coronavírus. “Procurem as escolas da região ou mesmo entrem em contato com a Secretaria Estadual para buscar orientação. A escola é um ambiente controlado e seguro, onde todos os protocolos de segurança são seguidos. Existe um baixo risco de contaminação dentro das escolas do Paraná”, reforçou o diretor.  

Foto: Silvio Turra/Seed

Escolas de olho

Caso algum aluno venha a faltar em sequência, a orientação da Seed é para que a escola procure a família do estudante para saber o que está acontecendo. Caso os pais desejem tirar dúvidas ou mesmo questionar a forma de ensino, a sugestão que entre em contato com o colégio ou mesmo com a Secretária. O telefone é o (41) 3340-1500.

Até o recesso escolar, em 9 de julho, 55% (1.049) dos 2,1 mil colégios estaduais já haviam retomado total ou parcialmente o ensino presencial no modelo híbrido. Com o início do segundo semestre letivo, 1.051 reabrem nesta quarta. Vale reforçar que algumas escolas que já estavam funcionando irão ampliar a capacidade de atendimento a séries e turmas.

Com a proteção da vacina

A vacinação é considerado o fator mais importante para a reabertura, garantindo mais proteção à comunidade escolar. A partir do início de agosto, a maioria dos profissionais da Educação irão receber a segunda dose da vacina, já que mais de 93% desse público recebeu vacinas de fabricantes que têm 90 dias de intervalo entre as doses. Mais de um terço das doses (75.333) foi aplicado em pessoas de 40 a 49 anos, sendo 38.889 entre 40 e 44 anos e 36.444 entre 45 e 49 anos, as duas principais faixas etárias.

Determinações contra a covid-19

Mesmo com o retorno das aulas e a estabilidade nos casos de covid-19 nos municípios, a orientação da Secretaria Estadual de Educação (Seed) é que a proteção contra a doença precisa ser prioridade. A Secretaria distribuiu equipamentos de proteção individual aos professores, além de instalar totens com álcool em gel e tapetes sanitizantes, nas entradas das escolas e das salas de aula.

Além disto, a temperatura de todos será aferida entrar nas unidades, segue o uso obrigatório de máscara para profissionais e estudantes; horários escalonados para evitar aglomerações, interdição de bebedouros coletivos, distanciamento social de 1,5 metro e desinfecção da mobília e materiais em geral com álcool 70%.