Os alunos de uma escola estadual em Curitiba estão sem merenda desde a semana passada, segundo denúncias de mães de estudantes. No Colégio Estadual Helena Dionísio, no bairro Mossunguê, como o lanche da tarde não é servido, as famílias se revezam na função de fornecer a merenda para que os alunos a dividam como podem. A Secretaria de Estado da Educação (Seed) confirma o problema de atraso na entrega da merenda em algumas escolas, mas atesta que na semana que vem a situação deve ser normalizada.

Josiane Pavorski, mãe de duas alunas que estudam na escola, conta que o lanche que não é fornecido na escola dificilmente pode ser reposto pela família, de baixa renda. ?No momento, não tenho condições de dar merenda para minhas filhas levarem?, reclama. Segundo ela, a alimentação durante a tarde fica por conta da solidariedade de outras mães. ?Os amiguinhos que podem estão levando e dividindo entre as crianças?.

A mãe foi à escola reclamar do problema, mas diz que a resposta recebida dava conta de que a insuficiência de lanche estaria relacionada à falta de controle no consumo. ?Disseram que as crianças esbanjam?, relata. A filha Ana Paula, que está na sétima série, afirma que desde que entrou no colégio, na primeira série, nunca houve falta de merenda. ?A gente está acostumado a receber lanche no intervalo. Agora, é só sair e voltar para a sala de aula com a barriga vazia?.

A diretora da escola, Ana Maria Veroneze, afirma que a falta de merenda não está relacionada à ausência de fornecimento, mas sim ao consumo, maior que o esperado ultimamente. ?A gente serve à vontade e aconteceu que as crianças comeram mais?, explica. Segundo ela, o governo se encarrega do transporte da merenda somente nos dias programados. ?As requisições extra nós temos de ir buscar. Como estava sem condições de fazer isso esta semana, solicitei à minha chefe que trouxessem a merenda e a previsão é que isso seja feito na segunda-feira (amanhã)?, adianta.

Governo

A Seed, por meio da assessoria de imprensa, confirmou atraso na entrega da merenda a algumas escolas por problemas na licitação. No entanto, adiantou que a situação deve ser normalizada esta semana. A secretaria informou ainda que possui alimentos à disposição e que, até que possam ser levados às escolas, essas podem se encarregar pelo transporte dos mesmos. Nesse caso, a Seed ressarcirá os gastos. No entanto, diz a secretaria, cabe lembrar que o controle no consumo da merenda é responsabilidade de cada escola.