Voltou à normalidade na última segunda-feira o transporte escolar em Itaperuçu. Cerca de 450 alunos que estudam à noite e moram na zona rural ficaram mais de 30 dias sem aula porque a prefeitura não dispunha de dinheiro para cobrir os custos. O governo do Estado não repassou a verba de R$ 73 mil porque a cidade não estava em dia com o Tribunal de Contas (TC).

Mesmo sem a liberação do governo do Estado, a Prefeitura resolveu retomar o transporte. Segundo o secretário municipal da Educação, Gilmar Jorge Mauro, eles gastam R$ 140 mil com a condução e a contrapartida do Estado é de R$ 70 mil. “Resolvemos dar um jeito para não prejudicar a comunidade”, disse.

O governo não repassou o dinheiro porque a prefeitura não prestou contas de R$ 17 mil gastos na gestão anterior, no ano de 2000. “No ano passado, eles repassaram o dinheiro sem problemas. Este ano é que resolveram segurar”, critica o secretário.

Mauro fala que a gestão atual não tem como prestar contas e já pediu ajuda do Ministério Público para reverter a situação. “Existe uma lei federal que permite a liberação do repasse em casos envolvendo a educação e a saúde”, revela.

Para dar conta do conteúdo escolar, os alunos do Colégio Estadual Nossa Senhora das Graças vão ter que estudar enquanto os outros entram em férias. Durante esse período, as aulas foram suspensas para todos, inclusive para aqueles que não precisavam da condução.

Disponível

Segundo o assessor de gabinete do secretário de Estado da Educação, Dejanir Ferreira, o dinheiro já está disponível, mas só vai ser liberado mediante a apresentação da certidão negativa do TC.