O doente renal crônico tem acúmulo de toxinas no sangue por causa da deficiência dos rins. As soluções para o caso são transplante ou tratamento de hemodiálise, no qual a limpeza do sangue é feita por máquinas. Mas a pequena atividade do órgão também traz alguns problemas para a saúde que, se não forem tratadas, podem diminuir a qualidade de vida do paciente e, conseqüentemente, as chances de óbito aumentam.

A Associação Amigos do Rim, juntamente com o Instituto do Rim do Paraná, lançou o projeto Saúde na Diálise com as 350 pessoas atendidas pela entidade. “Existem cinco metas a serem alcançadas, além do tratamento de diálise, para garantir uma boa sobrevida ao paciente. São os controles da anemia, doenças ósseas, desnutrição e colesterol. Cerca de 50% dos doentes renais crônicos não conseguem atingir as metas. Isso não significa que estejam correndo risco de vida, mas não estão no ideal”, comenta José Rubens Martins, do Instituto do Rim e um dos participante do projeto. “Isso acontece pela falta de aderência ao tratamento, causada pelo não-entendimento e difícil acesso à medicação, mesmo aquela fornecida pela saúde pública”, comenta.

O projeto visa acompanhar de maneira especial essa parcela dos doentes e educá-los, por meio de filmes e conversas com a equipe médica, sobre a hemodiálise. Além disso, o Instituto do Rim vai fornecer diretamente aos pacientes remédios para combater as doenças associadas. “Assim nós temos a certeza absoluta de que o tratamento foi oferecido”, afirma Martins. O dinheiro para a compra dos medicamentos virá das doações para a Associação Amigos do Rim.

Segundo Martins, a nefrologia (especialidade médica que cuida dos rins), evoluiu muito nos últimos vinte anos. Antes, as metas estabelecidas pelos médicos eram difíceis de ser alcançadas. Com o avanço, há um rigor maior e a intenção é levar o paciente a uma vida praticamente normal.

O projeto foi criado em março deste ano e está na fase de implantação, na qual os médicos e todos os funcionários que lidam com os doentes renais estão sendo treinados para atender as necessidades do projeto.

Serviço – Quem quiser contribuir pode ligar para o telefone (41) 3022-7766 ou acessar o site www.amigosdorim.com.br.