Após algum tempo de calmaria, já que após as eleições deste ano pouca gente permaneceu na vigília armada para o ex-presidente Lula no entorno da Polícia Federal, no Santa Cândida, em Curitiba. Porém, com a iminência de sua soltura, graças à decisão de Marco Aurélio Mello, do Supremo Tribunal Federal (STF), que determinou a liberação dos presos com condenação sem trânsito em julgado, as ruas do bairro voltaram a serem tomadas por manifestantes contrários e favoráveis ao ex-presidente.

Militantes favoráveis se reuniram em frente à sede da Polícia Federal, em Curitiba, logo após a decisão do ministro na tarde desta quarta-feira (19). Logo em seguida, manifestantes contrários chegaram ao local e uma confusão começou, por volta das 18h. Agressões verbais foram trocados e, por muito pouco, a situação não ficou pior.

Aproximadamente cem manifestantes se reuniram na Rua Guilherme Mattar, no bairro Santa Cândida, e a expectativa, para aqueles que apoiam o ex-presidente, é que ele seja liberado nas próximas horas. “Ele é inocente e tem que sair. Nos sempre acreditamos nisso e agora vai acontecer. Lula livre!”, contou um dos militantes.

Por outro lado, quem não concordou com a decisão, levou até mesmo cartazes criticando o STF. “Não dá pra entender essa decisão. Vergonha é a única coisa que posso sentir”, desabafou uma mulher.

Policiamento

No local, ficaram duas viaturas da Polícia Militar (PM) e não houve relato de uso da força para conter qualquer confusão, porque não houve nenhuma agressão. Foi feito o monitoramento do local e de outras ruas próximas a sede da PF.

+ APP da Tribuna: as notícias de Curitiba e região e do trio de ferro com muita agilidade e sem pesar na memória do seu celular. Baixe agora e experimente!

Natal em Curitiba, sim! Toffoli derruba liminar e Lula segue preso