Após o anúncio do repasse de R$ 3,8 milhões da prefeitura de Curitiba, o Sindicato dos Motoristas e Cobradores de Curitiba e Região Metropolitana (Sindimoc) cancelou a paralisação do transporte coletivo que aconteceria nesta quinta-feira (08).

O dinheiro foi repassado por decreto assinado pelo prefeito Gustavo Fruet e deverá ser usado para que as empresas que ainda não quitaram o pagamento e o 13° salário de funcionários possa zerar a dívida. Segundo Roberto Gregório, presidente da Urbanização de Curitiba S/A (Urbs), responsável por gerenciar o transporte coletivo, o dinheiro deve estar disponível para as empresas até às 14h desta quinta.

Inicialmente, o Sindimoc anunciou que a greve atingiria todas as empresas de ônibus da Grande Curitiba. Em conversa com o Paraná Online na tarde desta quarta-feira (07), Dino de Mattos, vice-presidente do sindicato, afirmou que a paralisação atingiria somente as linhas em que os motoristas ainda não haviam sido pagos.

“Com esse decreto conseguimos a promessa de pagamento”, comentou Anderson Teixeira, presidente do Sindimoc. No entanto, a quinta-feira não deverá ser silenciosa, pois categoria protestará contra os recorrentes atrasos no pagamento.

Convênio

Teixeira reiterou que a postura dos trabalhadores continuará a mesma quando os “direitos dos trabalhadores não forem atendidos”. Segundo o sindicalista, uma das soluções para o atual impasse no transporte coletivo está no convênio com a Coordenação da Região Metropolitana de Curitiba (Comec).

Para ele, a questão vai além da renovação do convênio entre governo estadual e prefeitura. “É preciso que exista uma resolução da atual situação”.