Depois do anúncio feito nesta terça-feira (04) pelo Governo do Estado relativo ao retorno presencial às aulas na rede estadual de ensino a partir da próxima segunda-feira (10), professores vinculados ao Sindicato dos Trabalhadores em Educação Pública do Paraná (APP Sindicato), declararam indicativo de greve caso as aulas sejam retomadas antes da imunização completa de todos os professores e funcionários das escolas. Em declaração à imprensa, na tarde desta terça, representantes do sindicato afirmaram que a vacinação é condição primordial para a retomada das aulas presenciais.

No anúncio oficial sobre a reabertura das escolas no Paraná, o governador Ratinho Junior destacou a definição de alguns critérios para que as aulas voltem ao modelo presencial como o alinhamento com o que definem secretarias de educação municipais, os recursos disponíveis aos alunos em vulnerabilidade social sem acesso à dispositivos digitais e as instituições com menos funcionários pertencentes ao grupo de risco.

Definiu-se ainda que o retorno presencial não será obrigatório, cabendo aos pais dos alunos a assinatura de um termo que declare a opção pela manutenção do ensino remoto. Mesmo com a definição de protocolos de segurança que deverão ser seguidos pelas instituições de ensino como distanciamento entre as carteiras, obrigatoriedade do uso de máscaras e álcool gel e aferição regular da temperatura, as aulas ainda deverão ser retomadas seguindo o modelo híbrido: parte presencial, parte remoto.

Em resposta à decisão anunciada pelo Governo, a APP Sindicato contestou a retomada das aulas alegando o risco à saúde dos professores, funcionários, pais e alunos da rede estadual.