Na madrugada do último domingo, homens do Batalhão de Polícia Florestal – agora rebatizado de Batalhão de Polícia Ambiental Força Verde -, descobriram uma fabriqueta clandestina de palmito às margens do Rio Iguaçu, no entorno do Parque Nacional do Iguaçu, no município de Capanema. No local foram apreendidas 302 cabeças in natura, recém-cortadas, além de 210 vidros utilizados para guardar conservas.

De acordo com o sargento Carlos Guimarães Fernandes, ao perceber a aproximação dos policiais, os responsáveis pela extração fugiram. Ninguém foi preso. O sargento acrescenta que é comum encontrar essas fábricas improvisadas perto do parque e que dificilmente os criminosos voltam a utilizar aqueles locais depois de descobertos.

?O palmito é extraído ilegalmente dentro do parque e depois é vendido para outros grupos que o industrializam e fazem a venda?, explica Fernandes. O sargento informa que o número de apreensões tem diminuído devido ao policiamento preventivo realizado no parque e a projetos de conscientização da população local sobre as conseqüências do extrativismo predatório.