A artista plástica Rita de Carvalho e
suas obras, feitas com lixo reciclado.

Transformar objetos que seriam jogados no lixo em obras de arte é a tarefa da arquiteta e artista plástica Rita de Carvalho. Há quinze dias, ela abriu uma escola, em Curitiba, para ensinar sua arte a outras pessoas.

O gosto pela reciclagem começou quando Rita tinha quatorze anos e morava no interior da Bahia. Ela era muito pobre mas, devido a uma bolsa de estudos, freqüentava escola particular. “Comecei a utilizar coisas recicláveis para decorar a minha casa, que era de chão batido”, conta. “Eu fazia peças decorativas e convidava minhas amigas, que eram ricas, para ver. Elas adoravam e iam sempre me visitar.”

Com papel, isopor, madeira, latas, plástico, arame e tinta, Rita faz presépios, luminárias, porta-CDs, vasos, cestas, vassouras e outras peças. Tudo é feito com materiais que teriam como destino final o aterro sanitário.

Desperdício

Segundo a artista, no Brasil, ainda há muito desperdício: as pessoas jogam no lixo coisas que ainda poderiam ser aproveitadas. “Em função disso, os aterros sanitários, em curto período de tempo, estão com a capacidade esgotada”, denuncia.

O objetivo de Rita é ensinar a arte da reciclagem a pessoas que a possam utilizar como uma fonte de renda ou mesmo como uma terapia. Ela quer ainda que seus alunos se tornem agentes multiplicadores, repassando os conhecimentos a outras pessoas. “Tenho alguns alunos que já estão promovendo oficinas e ministrando palestras sobre o assunto”, orgulha-se.

Atualmente, a artista plástica tem vinte alunos. Pelas aulas, eles pagam R$ 20,00 por mês. As peças que produzem podem ser vendidas ou exibidas em exposições. Mais informações sobre as aulas podem ser obtidas pelo telefone: (41) 344-4782.