A pequena cidade de Itambé, no norte do Paraná, com apenas 24 mil habitantes, tem chamado a atenção por uma atitude de uma moradora que decidiu deixar a comodidade de casa para retratar humanidade nas ruas. Pontos de ônibus, escolas e até o muro do cemitério municipal tiveram a melhora visual para dar esperança nos momentos de reflexão e incerteza. As estruturas foram transformadas em sala de estar, sala dos Simpsons e até uma plantação.

Fabrícia Cassani, 42 anos, é artista plástica e estava acostumada a retratar seus trabalhos em telas e restaurações. Com a pandemia do novo coronavírus, pensou em uma forma de mostrar seu trabalho para mais gente e decidiu que o melhor cenário seria a sua cidade natal. De maneira voluntária, pegou os equipamentos de trabalho ( pincéis e tintas) e foi para um ponto de ônibus perto de casa. “O ponto fica no centro, próximo do hospital municipal e ali passa muita gente sofrida. A minha ideia foi passar algo acolhedor e por isto tem o sofá, cortinas, vasos de flores e um animal de estimação. Parece a casa da gente que todos gostam de ficar, mas não é possível para algumas pessoas nesta pandemia”, disse Fabrícia que faz o trabalho em cinco à seis horas.

Com a conclusão da primeira atividade, as pessoas ficaram interessadas em conhecer mais o talento da artista. Ao chamar a atenção, a prefeitura da cidade entrou em contato para que as obras continuassem em outros espaços. Atualmente, são quatro pontos de ônibus que viraram espaço artístico, sem perder a principal função que é dar abrigo para quem deseja circular com o transporte público. “Foram mais três pontos e o interessante que a própria prefeitura arrumou o abrigo e proporcionou mais qualidade aos usuários. Recebo ajuda financeira do poder público, mas o essencial é que todos estão recebendo cultura de alguma forma’, comentou a artista plástica.

Família Simpson também foi retratada pela artista plástica. Foto: Colaboração.

Além do ponto de ônibus que parece uma sala de estar, Fabricia desenhou um trator em homenagem aos agricultores e teve até a família Simpsons, série de animação norte-americana que virou atração no município. Outros espaços como escolas e até no único cemitério da cidade teve também o “dedo” da artista.

Convites e nova obra

Fabricia virou celebridade na região e está requisitada para seguir com a arte nas outras cidades. O município de Floresta, ao lado de Itambé, já fez contato para uma nova obra. “Fiz uma das asas que vêm ciclistas de toda parte. Percorrem quase 100 kms para fazer o registro. Estou pensando em uma nova obra retratando o atual momento da pandemia. Seria um rosto de uma criança, de um lado negra e do outro é loira. Ela tem a mesma fisionomia e com o mesmo traço usando uma máscara. A ideia é mostrar que a união de todos vai proporcionar o bem e iremos superar este momento difícil”, afirmou Fabricia.

Para conhecer mais sobre o trabalho da artista plástica, entre nas redes sociais da Fabricia Casani. O Instagram é o https://www.instagram.com/cassanifabricia/   e o Facebook é o https://www.facebook.com/fabricia.cassani.5 .