Moradores e comerciantes da Rua Pedro Gusso, na Cidade Industrial de Curitiba (CIC), estão indignados com as condições do asfalto da principal artéria viária da região. Ao longo dos pouco mais de dois quilômetros da via, a pavimentação apresenta uma série de desníveis, que segundo quem passa pelo local, oferece risco aos motoristas e pedestres.

Um dos pontos mais críticos fica próximo ao Terminal do CIC. Devido ao alto tráfego de ônibus e caminhões, o asfalto apresenta afundamentos, desníveis e buracos, que atrapalham a vida dos motoristas. Segundo o comerciante Claudinei Teodoro da Silva, dono de distribuidora de bebida na Rua Pedro Gusso, as operações tapa-buracos não duram. “Eles colocam o piche de qualquer maneira e até com água nos buracos. Daí não tem como a manutenção durar muito tempo. Aqui passa muito carro, caminhão e ônibus, e esse movimento destrói as reformas malfeitas”, explica.

O frentista João Maria da Silva, que trabalha em um dos postos da via há três anos, conta que a má conservação do asfalto gera prejuízos para motoristas e oferece risco aos pedestres. “Como o pessoal abusa da velocidade, mesmo com a quantidade de lombadas que a rua tem, os carros caem nos buracos e quebram. E isso pode causar acidente, já que os motoristas, na tentativa de desviar, podem invadir a calçada e atropelar alguém”, alerta.

Sem previsão

A assessoria de imprensa Secretaria Municipal de Obras informa que, apesar de estar fazendo uma série de obras de melhorias no asfalto das principais ruas da cidade, não há previsão na Pedro Gusso.