A população do município de Matinhos, litoral do Estado está chocada com a morte do padre Joaquim Raimundo Braz, assassinado na noite de segunda-feira. O fato gerou comoção entre a população durante seu velório, na Igreja Matriz de Matinhos. O corpo do padre, nascido em Minas Gerais, deve ser levado amanhã ao município de Ibaiti, no Norte Pioneiro, onde mora sua família. A data do enterro ainda não foi confirmada.

Padre Joaquim era famoso pelo estilo animado de rezar missas e pelo bom relacionamento com a comunidade. Em função do velório, muitos estabelecimentos comerciais não foram abertos. Centenas de pessoas compareceram para prestar uma última homenagem ao padre, que no próximo dia 15 de agosto completaria doze anos de atuação no município. “Ele não era apenas o padre da cidade, mas um amigo muito querido. Era admirado por todos, devido ao seu bom humor e sua capacidade de levar as pessoas para igreja. Todo mundo está muito chocado, devido à forma violenta que padre Joaquim morreu”, afirmou a paroquiana Rosa Conceição de Souza. Ela lembrou que o padre foi o responsável pela construção da Igreja Matriz de Matinhos, pela reforma da capela do município e pela construção de diversas paróquias no litoral do Paraná. “Padre Joaquim era muito bom e generoso. Não tinha inimigo algum na cidade. Se dava bem com todo mundo, inclusive com jovens e crianças. A cidade perdeu um verdadeiro pai e está bastante entristecida por causa disso.”