Os deficientes físicos podem dirigir carros adaptados, mas são proibidos de dirigir profissionalmente pelo Conselho Nacional de Trânsito (Contran). A Associação Paranaense dos Amputados realizou ontem uma manifestação na Boca Maldita, em Curitiba, pedindo a mudança dessa resolução. Hoje, até às 14h, os manifestantes vão colher assinaturas para o envio de um pedido oficial de alteração ao Contran, em Brasília.

O presidente da associação, Paulo Sérgio Nascimento, alega que muitos ônibus e caminhões já possuem marcha automática, o que exige do motorista apenas uma perna para o trabalho. Os ônibus expressos em Curitiba, por exemplo, são todos hidramáticos, com apenas um pedal para o freio e o acelerador.

Além de ser um campo de emprego para muitos deficientes, a alteração da resolução do Contran também permitirá que profissionais amputados não percam o trabalho por causa da deficiência. "Quem tem registro se aposenta, mas quem trabalha por conta sai prejudicado", afirma.