Depois de 36 anos, o aterro sanitário de Maringá para de receber resíduos. A empresa Constroeste Indústria e Comércio, de São José do Rio Preto (SP), passou a gerenciar, na última terça-feira, as 300 toneladas de lixo produzidas na cidade. O depósito provisório é a Pedreira Ingá, já que a usina para a separação do material ainda não está pronta. O contrato com a Constroeste é válido por um ano.