Criado em 1972 para prestar consultoria e assistência na administração de negócios, o Sebrae-PR vem mudando o foco de sua atuação de acordo com a realidade da economia brasileira. Hoje o Sebrae, além de exercer importante papel na defesa dos interesses empresariais, tem como característica marcante a responsabilidade social. O Sebrae-PR é modelo para todos os outros Estados, e os projetos nascidos no Paraná estão sendo postos em prática em todo o País.

Segundo Hélio Cadore, superintendente do Sebrae-Pr, “a responsabilidade social do Sebrae hoje é muito maior, não no sentido assistencialista, mas no âmbito de criar alternativas”. Para Cadore, essa mudança de atuação é fundamental para melhorar a situação econômica do País. “Até 2005, o Brasil precisa gerar 20 milhões de postos de trabalho, e dificilmente as grandes empresas serão suficientes. Por isso precisamos criar condições para que surjam pequenas empresas”, alertou. Segundo Cadore, 96% dos empregos gerados entre 1995 e 2000 foram gerados por pequenas e médias empresas.

Uma das maneiras que o Sebrae-PR encontrou para ampliar sua atuação foi procurar parcerias. Por isso hoje o Sebrae trabalha em parceria com entidades empresariais, institutos de tecnologia, universidades e até instituições religiosas, em alguns municípios do interior. “Hoje o Sebrae-PR tem 154 funcionários. Através de parcerias, são mais de 500 pessoas trabalhando pelo mesmo objetivo”, afirmou o superintendente.

Entre as diversas conquistas alcançadas nesses 30 anos, estão o imposto Simples, o Estatuto da Pequena Empresa e o Banco Social. Além disso, a queda nas taxas de mortalidade das empresas paranaenses de 80% para 57% desde a implantação do sebrae-PR.

Nesses trinta anos a atuação do Sebrae vem mudando de acordo com a realidade do mercado paranaense. Criado em 1972 como IPAG – Instituto Paranaense de Gerência Empresarial, tinha como objetivo prestar aconselhamento sobre gestão de negócios, visto que naquela época a taxa de inadimplência era muito alta e a mortalidade das empresas chegava a 80%, pela falta de informações disponíveis sobre gerenciamento empresarial. Depois de criar um fluxo de informações sobre gestão de negócios, passou a lutar por uma legislação e linhas de crédito que atendessem as pequenas empresas.

Hoje a atuação do Sebrae-PR é voltada à sociedade em geral, no sentido de criar nos municípios condições favoráveis ao surgimento de pequenas empresas. É o Programa de Desenvolvimento Local Integrado e Sustentável, que percorre todo o Estado tentando unir os representantes municipais em torno deste objetivo. O foco principal é impulsionar, através de organização social, os setores de turismo, agronegócios, vestuário, automotivo e artesanato.

Sebrae, um grande parceiro

O Sebrae do Paraná tem sido um grande parceiro da Agropecuária. A Faep e o Senar Paraná têm, nestes últimos anos, firmado vários convênios com o Sebrae, visando dar ao produtor rural ferramentas de gestão, para desenvolver as propriedades rurais do Paraná. Estão entre as atividades desenvolvidas em conjunto a implantação da Sala do Produtor em 150 sindicatos rurais do Estado, dotando-os de computadores ligados à internet, televisão, videocassete e antena parabólica, para aproximar o produtor rural da informação em tempo real e sobre as novas técnicas de gestão e operação no meio rural. O programa “D’olho na qualidade” faz parte de um rearranjo das propriedades rurais, com vistas à modernização da gestão, dando-lhe um sentido empresarial. A participação do Sebrae, em conjunto com a Ocepar e a Secretaria da Agricultura, no programa “Hortiqualidade”, para o desenvolvimento na comercialização de frutas e hortigranjeiros; as teleconferências sobre conjuntura da agropecuária e informativas sobre assuntos de importância do setor, além de um grande número de cursos para produtores rurais sobre gestão, um dos pontos cruciais para tornar o campo competitivo no mundo globalizado.