A Prefeitura de Londrina ordenou o início das obras do viaduto da avenida Ayrton Senna, sob a PR 445, na região sul da cidade. A ordem de serviço foi liberada nesta terça-feira (dia 1º) e a empresa Visatec Construções e Empreendimentos Ltda, vencedora da licitação, tem prazo de um ano para concluir o viaduto que vai custar R$ 4 milhões. 

Para o secretário de Obras, Aloysio Crescentini de Freitas, o viaduto vai agilizar o trânsito do centro para a região sul. "A obra é uma transposição da PR 445 que vai desafogar o volume de veículos que trafega pela avenida Madre Leonia Milito em direção ao shopping Catuai e universidades próximas", ressaltou o secretário.

Crescentini informou ainda que o trecho é considerado o maior ponto de conflito urbano da cidade, com um volume de tráfego de cerca de 1.600 veículos por hora nos horários de pico, das 18h às 19h, causado por estudantes que se dirigem às universidades. "Trata-se de uma obra de extrema importância para o desenvolvimento da região sul da cidade", disse.

Outra novidade é que a prefeitura já publicou o edital para a execução do trecho da avenida Ayrton Senna, nas proximidades do lago Igapó, que estava paralisada por decisão judicial. A abertura dos envelopes está prevista para o dia 16 de abril, às 14h. "Neste trecho de aproximadamente 200 metros falta finalizar uma das pistas da via. Com a conclusão será possível fazer a abertura definitiva da avenida naquele local", disse o secretário.

A retomada do processo para finalizar esse trecho da obra só foi possível porque 4ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça do Paraná, decidiu por unanimidade aceitar o recurso da Prefeitura de Londrina, garantindo a permuta de área para o término da obra da avenida Ayrton Senna, na região sul. O município havia permutado uma área no jardim Alcântara (região sul) com Hikaru Goto, proprietário da área que impedia a continuidade da avenida, mas a troca foi embargada por uma decisão de 1ª instância no Fórum de Londrina.