Um avestruz, com cerca de 120 quilos, que fugiu do Circo de Moscou, em Curitiba, obrigou um grupo de homens a percorrer quase que cinco quilômetros antes de apanhá-lo. A perseguição terminou porque o avestruz caiu em uma valeta, que o impediu no prosseguimento da fuga até então bem sucedida. Quando foi capturado, chegou a arrastar quem tentou agarrá-lo, mesmo estando com ferimentos leves.

Estavam atrás da ave corredora – que em plena forma pode chegar a uma velocidade de 50 quilômetros por hora – um grupo de soldados do Corpo de Bombeiros, policiais militares do Paraná e funcionários do circo, que buscavam desesperadamente recuperar o fugitivo, a pé ou com carros. Eles temiam que a ave acabasse atropelada ou atingisse algum veículo, principalmente motos, o que segundo um bombeiro seria uma colisão que poderia ter graves conseqüências.

O avestruz pertence ao Circo de Moscou, que está acampado ao lado da BR-116, no bairro Parolin, na região central de Curitiba. Ele escapou por volta das 8h30, aproveitando do descuido de tratadores. Sua fuga foi uma verdadeira festa para quem só assistia, vendo homens e automóveis se movimentando em uma estrada com tráfego intenso.

Ao ver que o seu caminho estava livre, o avestruz correu quase que cinco quilômetros até ser capturado em outro bairro, a Vila Oficinas. Cansado de correr, o avestruz acabou por perder o equilíbrio e caiu em uma valeta. Ele teve seus movimentos dificultados, pela lama que havia no buraco, que fica ao lado da ferrovia existente no local, mas mesmo assim lutou bravamente para não se preso. Ao final, o avestruz foi devolvido ao circo, para ser tratado e continuar a fazer parte no espetáculo.