A chegada do voo 5712 da Webjet, que partiu de Guarulhos (SP) com destino a Curitiba (PR), foi de extrema tensão para a tripulação e os passageiros. A poucos metros do chão, por volta das 14h50 desta sexta-feira (20), o avião arremeteu. Cinco minutos depois, de acordo com o relato do universitário catarinense Paulo Cantoli, o comandante explicou que a manobra havia sido utilizada porque a Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero) informou que havia um animal na pista.

Entretanto, em nota, a Webjet justificou o procedimento por conta de uma variação na intensidade de vento. Questionado sobre a versão da empresa, o estudante reafirmou que ouviu claramente o comandante. “É muito importante que se investigue isso. Não acredito que o comandante iria brincar após um susto desses. E acho lamentável a empresa querer acobertar algo assim”, ressaltou. Ele ainda sugeriu como solução para evitar uma situação mais grave ou um acidente, no Aeroporto Afonso Pena, a colocação de um “cercado” para isolar a área. “Não custa muito e pode economizar vidas”.