O Zoológico Municipal de Curitiba tem um novo morador, um macaco babuíno sagrado (papio hamadryia). O animal, que sofria maus-tratos, foi apreendido de um circo em Foz do Iguaçu e encaminhado pelo Instituto Brasileiro de Meio Ambiente (Ibama) para o Zôo de Curitiba. O babuíno está sob cuidados de biólogos e veterinários da Prefeitura, no setor de isolamento do Zôo. A idade dele é estimada em de 10 a 15 anos.

"Aqui o animal está se adaptando bem. Ele está recebendo tratamento adequado e também muito carinho dos tratadores e funcionários", diz o veterinário Manoel Lucas Javarouski. Esta é a primeira vez que o Zôo de Curitiba tem no acervo um babuíno sagrado .

O babuíno chegou a Curitiba no começo de maio. Ele ficará no setor de isolamento até a construção, na ala de visitação, de um recinto especial para abrigá-lo. O babuíno sagrado é uma espécie original do norte da África, onde vive em ambiente desértico e rochoso. A proposta no Zôo de Curitiba é construir um recinto ambientado com elementos parecidos com o do hábitat natural do babuíno. Depois de pronto o recinto, a Prefeitura de Curitiba procurará uma fêmea para o animal se acasalar.

A dieta do macaco conta com muita verdura, frutas e legumes e também um pouco de carne. "Ele vem respondendo bem ao contato dos funcionários e aos alimentos, acho que logo estará pronto para receber visitas da população", diz o responsável pela alimentação do babuíno, o tratador Wilson Roberto Geber.