Realizar a implantação do Plano Diretor de Arborização de Curitiba é uma das prioridades do novo secretário municipal do Meio Ambiente, Domingos Caporrino Neto, que assumiu o cargo no lugar de Maria Lúcia Rodrigues. Nesses primeiros dias da nova gestão, técnicos da secretaria já iniciaram um levantamento com o objetivo de diagnosticar as principais áreas críticas da cidade, onde trabalhos de arborização são mais necessários.

O plantio de árvores deve iniciar no bairro Sítio Cercado. "Pelo que já pudemos constatar, a região sul de Curitiba é a mais problemática. Pretendemos fazer um trabalho de arborização racionalizado, vendo as espécies que podem ser plantadas em cada lugar e cuidando, por exemplo, para que elas não afetem o calçamento nem prejudiquem a rede elétrica", afirma.

Em paralelo ao plantio, deve ser realizado um trabalho de conscientização e educação ambiental junto à população. Segundo o secretário, muitas pessoas acabam podando as árvores plantadas com medo de que, no futuro, elas venham a se tornar problemas. "Muita gente pensa: vou cortar a árvore porque se eu deixá-la crescer, nunca mais vou conseguir retirá-la do local. Isso é um erro, pois vamos realizar um trabalho racional justamente para evitar problemas futuros."

Outra prioridade será atender ao compromisso de governo de criação do Parque da Vista Alegre, com 102.463,15 metros quadrados, em uma pedreira desativada entre as ruas Luiz Leduc e Gardênio Scorzato. O parque será o décimo oitavo de Curitiba e contará com lago e cascata. "Ainda não temos o valor exato da criação do parque, mas ele é um anseio antigo da comunidade", diz. "Também não vamos esquecer o Parque Barigüi. No local, realizaremos mutirões para serviços de revitalização em pistas, lixeiras, sanitários e outros bens públicos que estão deteriorados."

No que diz respeito à questão do lixo, Domingos pretende estudar novas ampliações no aterro da Caximba, podendo aumentar sua vida útil em mais três ou quatro anos. "O lixo não espera, chega todos os dias. Estamos em um momento de extrema responsabilidade social em relação ao assunto. É preciso que as administrações de todos os municípios da Região Metropolitana que utilizam o aterro deixem interesses políticos de lado e se unam. Deve haver integração em torno do problema."

Ainda na Caximba, a secretaria está realizando estudos de viabilidade para instalação de uma usina de biogás. "Os resíduos depositados no aterro geram um gás (chamado biogás) que pode ser utilizado em indústrias. Estamos estudando para ver se a exploração desse gás é ou não viável", explica.

Nos próximos quatro anos, Domingos também deve trabalhar pela limpeza e desassoreamento de rios e criação de novas áreas de lazer. No total, a secretaria é responsável por 18.481.316 metros quadrados de parques, treze bosques, 412 praças, 54 largos, trinta núcleos ambientais, 15 eixos de animação, quatro jardins ambientais e dois centros esportivos. Para 2005, tem um orçamento de R$ 112.352.000,00.