Em assembleia na tarde de ontem, o Sindicato dos Bancários de Curitiba e região rejeitou a proposta da Federação Nacional dos Bancários (Fenaban) e decidiu continuar a greve, que chega hoje ao 20.º dia. A paralisação atinge 353 agências na capital e região e 1.174 em todo o Paraná.

Na sexta-feira, a Federação Nacional dos Bancários (Fenaban) apresentou nova proposta aos trabalhadores, na qual o reajuste sobre os salários seria de 7,1%. A proposta anterior da entidade era de 6,1%. Os cerca de 400 bancários que participaram da assembleia no Espaço Cultural consideraram a proposta insuficiente. Os bancários reivindicam o reajuste salarial de 11,93%, fim das metas abusivas e do assédio moral.

O sindicato obteve ontem mandado de segurança que invalidou o interdito proibitório concedido ao HSBC, que mantinha algumas agências do banco abertas. Apenas agências do Itaú estão funcionando. A paralisação das agências começa a afetar diretamente a concessão de financiamentos. Segundo o indicador Serasa Experian da Demanda do Consumidor Por Crédito, o número de pessoas em busca de crédito no mês passado foi 9,8% menor em relação a agosto.

Correios

Já a greve dos trabalhadores dos Correios completa 21 dias e pode ser decidida hoje pelo julgamento do dissídio no Tribunal Superior do Trabalho (TST). Os funcionários planejam assistir ao julgamento juntos e, em seguida, definir os rumos da paralisação em assembleia.