O cliente que pretende ir ao banco hoje, após 23 dias de greve dos bancários, vai precisar de paciência, porque a expectativa é de bastante movimento nas agências que voltaram a funcionar hoje. Mesmo assim, quem ainda tem pendências bancárias não deve deixar para resolvê-las amanhã, sob o risco de não conseguir negociar multas e encargos com a instituição financeira. “Se o cliente ficou com alguma pendência a partir do dia 19 do mês passado, o primeiro dia de greve, até sexta-feira, tem que resolver amanhã (hoje), quando as agências abrem.

É possível tentar negociar alguma conta devedora, transação de cheque ou negócio pendente. Mas se isso venceu no dia 18 de setembro, perde a prerrogativa”, orienta o presidente Sindicato dos Trabalhadores em empresas de crédito do Paraná (Fetec-PR), Elias Jordão. Ele ressalta a possibilidade da negociação acontecer apenas hoje. “Se deixar para amanhã ou depois o cliente perde essa oportunidade”, alerta.

Demora

O acúmulo de trabalho já é esperado, especialmente atrasos em processos que não são automatizados, como contratos financeiros de habitação, liberação de créditos e outros. Os transtornos, porém, não foram maiores pelo acesso a canais alternativos.

Expediente normal pra clientes

Depois de 23 dias de greve, os bancários conseguiram reajuste de 8% sobre salários (1,82% de aumento real) e correção de 8,5% nos pisos (ganho real de 2,29%), índices considerados vitoriosos, considerando o contexto das negociações com os bancos, que inicialmente se mostraram irredutíveis aos reajustes.

“Se considerarmos o contexto, como foi a negociação, a greve foi vitoriosa. Na primeira rodada os bancos demonstraram que não dariam nem meio por cento de aumento. O silêncio da Fenaban nos fez perceber que não estavam dispostos a negociar, o que gerou mais insatisfação e mobilização maior a cada dia”, lembra Elias Jordão. A adesão à paralisação foi recorde em todo o País, inclusive no Paraná, onde a média chegou a 880 agências fechadas e 21 mil trabalhadores de braços cruzados.

A compensação dos dias parados será até 15 de dezembro, com uma hora a mais de trabalho por dia. “Mas o horário de atendimento continua normal, isso não significa aumento no horário de atendimento que é das 10h às 15h na região metropolitana e das 10h às 16h em, Curitiba”, esclarece o secretário de comunicação do Sindicato dos Bancários do Paraná, André Machado.