A Justiça Federal do Paraná deu aval a barreiras sanitárias instaladas por prefeituras de municípios do Litoral para impedir o acesso de turistas às cidades. O juiz federal substituto Guilherme Roman Borges, da 1ª Vara de Paranaguá, definiu nesta quinta-feira (27) que as barreiras podem ser mantidas “em três dias da semana (sexta-feira, sábado e domingo), bem como em eventuais feriados”, enquanto durarem os decretos com medidas restritivas para enfrentamento à pandemia do coronavírus.

LEIA MAIS

> Curitiba está muito próxima de uma bandeira vermelha. Definição deve sair nesta sexta-feira!

> Márcia Huçulak desabafa sobre pandemia em Curitiba: “Queria estar muito longe daqui”

Ele também determina que as polícias rodoviárias Federal e Estadual prestem o auxílio necessário à instalação das barreiras e que a concessionária de pedágio Ecovia também ajude a avisar os motoristas sobre o veto aos turistas. Só podem entrar nas cidades as pessoas que estejam a serviço ou que morem no Litoral. A decisão do magistrado foi tomada após a realização de uma audiência virtual entre as partes envolvidas (União e municípios do Litoral) e confirma uma liminar concedida em março.

As barreiras estão localizadas em:

  • Paranaguá, na BR-277 entre os quilômetros 11 e 12;
  • Pontal do Paraná, na PR-407, no quilômetro 16,5;
  • Guaratuba, em dois pontos da PR-412 (no posto da Polícia Rodoviária na Rodovia Máximo Jamur e no quilômetro 39, em frente à Escola Municipal Iraci Miranda Kruger);
  • Morretes e Antonina, no quilômetro 7 da PR-410 (Estrada da Graciosa) e quilômetro 9 da PR-408.

Os municípios de Matinhos e Guaraqueçaba, que já tinham adotado as barreiras em março, não adotaram a medida desta vez.