O Departamento de Trânsito do Paraná (Detran) e a Polícia Militar abordaram cerca de 440 veículos e distribuíram 705 kits de educação no trânsito, durante a blitz de fiscalização da Operação Viva o Verão nas praias de Guaratuba e Matinhos, no sábado (5). A participação do Detran foi de reeducar condutores e passageiros sobre as leis de trânsito e a Polícia Militar fiscalizou as principais infrações cometidas pelos veranistas.

Segundo o assessor militar do Detran, capitão Alexandre Stange, as principais irregularidades constatadas na blitz foram superlotação do veículo, crianças sendo transportadas no banco da frente, condutores alcoolizados, som alto, condutores e passageiros sem cinto de segurança, veículos estacionados irregularmente e motociclistas sem capacete e viseira. ?Chega até ser falta de amor com a criança, por exemplo, quando o condutor permite que ela esteja no banco da frente?, diz Stange. ?Às vezes, tenho a impressão que as pessoas não se dão conta do risco a que se expõem, quando acreditam que na praia pode tudo no trânsito. Os veranistas acham que não precisam usar o cinto de segurança, porque acreditam na falsa confiança por estarem conduzindo devagar?, completa.

Acidentes

De acordo com a Polícia Militar, foram registrados, no último fim de semana (5 e 6), 152 acidentes nas rodovias que levam às praias e 84 acidentes no trânsito no litoral. Foram mais de mil infrações desde o final de semana do Ano Novo. Segundo o tenente- coronel Mário Martins, da Polícia Militar, a orientação educativa não é focada apenas nos veranistas, mas também nos próprios moradores do litoral. ?Para evitar bagunça, bebedeira e som alto, que não são atitudes apenas de veranistas, todos que estão no litoral precisam de orientação no trânsito e fiscalização?.

A Polícia Militar constatou, na blitz de sábado (5), que os condutores, por estarem em clima de férias, estão distraídos e não percebem nem a presença da polícia. ?Normalmente, aqueles que estão mais atentos, pelo menos, quando se aproximam de uma blitz, colocam o cinto, escondem a latinha de cerveja, mas nem isso muitos estão fazendo?, constata Stange.

No entanto, ainda muitos veranistas dizem estar cientes das leis de trânsito também no litoral. ?Claro que, na praia, a gente bebe uma cervejinha um pouco a mais que o normal, porque é muito mais quente, mas temos pelo menos um pouco de conhecimento que álcool e direção é extremamente perigoso, já que recebemos tantas informações sobre isso?, afirma a veranista Claudia Maria de Camargo.