O segundo boletim de balneabilidade divulgado nesta sexta-feira (28) pela Secretaria do Meio Ambiente e Recursos Hídricos indica 13 pontos impróprios para banho no litoral. O Instituto Ambiental do Paraná (IAP) divulga semanalmente os resultados das análises da balneabilidade em 43 pontos monitorados na orla, onde há maior fluxo de pessoas.

O maior aumento de pontos impróprios ocorreu no município de Matinhos, com cinco novos pontos impróprios para banho, além da praia Mansa, em Caiobá que manteve-se ?vermelha?. Os novos pontos estão no Mercado de Pescados, praia Central de Matinhos 100 metros à esquerda do Morro. Já na praia Brava de Caiobá tornaram-se impróprios os pontos localizados na rua Londrina, rua Jacarezinho e rua Alvorada

A prainha também continua imprópria. Em Guaratuba a rua Ponta Grossa, no Balneário Barra do Saí passou a ser impróprio para banho.

?Os resultados estão dentro da normalidade. Para a próxima semana, a tendência é que haja ainda mais alteração nestes índices com o grande número de veranistas que descerão ao litoral para o Ano-Novo?, afirmou o secretário do Meio Ambiente e Recursos Hídricos Rasca, Rodrigues.

Cada ponto impróprio representa 200 metros interditados ? 100 metros à direita e 100 metros à esquerda das placas indicativas – devido à emissão de esgoto sanitário e presença de coliformes fecais.

Locais de risco

A balneabilidade aponta a emissão de esgoto sanitário e presença de coliformes fecais nas águas da orla paranaense e qualifica os locais em próprios ou impróprios para banho. Para um local ser classificado como próprio para banho, pelo menos 80% das amostras coletadas nas últimas cinco semanas devem apresentar até 800 escherichias coli (que indica a presença de coliformes fecais) por 100 mililitros de amostra. Apresentando mais de 2.000 coliformes fecais por 100 mililitros, o local será considerado impróprio para banho. Nos pontos de risco a concentração de esgotos e coliformes apresenta índices superiores a 100 mil escherichia coli.

O presidente do IAP, Vitor Hugo Burko, lembrou que alguns locais são considerados automaticamente áreas de risco e ficarão sinalizados como impróprios durante toda a temporada.

A coleta é realizada todas as segundas-feiras ? dia seguinte ao final de semana, quando é maior fluxo de turistas. Com as mãos protegidas para evitar a contaminação dos frascos, os profissionais coletam as amostras em frascos de vidro contendo uma substância que preserva as bactérias existentes na água.

O IAP alerta que tomar banho em água contaminada pode causar doenças como gastrenterite, infecções nos olhos, ouvidos e garganta, e doenças de pele. Doenças mais graves também podem ser transmitidas através da água, como hepatite A, cólera e febre tifóide.

Barracas

Foram instaladas barracas em todos os pontos monitorados pelo Instituto, onde 120 estudantes da Universidade Federal do Paraná (UFPR) Faculdade Estadual de Filosofia, Ciências e Letras de Paranaguá (Fafipar) estão informando os veranistas sobre os riscos de tomar banho nos locais proibidos e como é feito o processo de análise da água. As cores das barracas são diferenciadas sendo que as azuis indicam que o ponto é próprio para banho e as vermelhas representam os locais impróprios. Ao todo, serão emitidos 16 boletins até o final da temporada distribuídos em todos os balneários e na rodoviária de Curitiba.

Devido ao feriado de Ano-Novo, o resultado do 4o boletim de balneabilidade, será emitido na sexta-feira (04), normalizando posteriormente a data de divulgação, que é todas as quintas-feiras. A Secretaria do Meio Ambiente e o IAP também divulgam os boletins em seus portais nos endereços eletrônicos www.pr.gov.br/meioambiente ou www.pr.gov.br/iap.