Desde o início de maio, o Corpo de Bombeiros do Paraná está cobrando para prestar determinados serviços. O dinheiro arrecadado é destinado ao Fundo Estadual do Corpo de Bombeiros Militar do Paraná (FUNCB), que provem recursos para a corporação investir em equipamentos novos e manutenção. O fundo foi criado pela lei 13.976 de 26 de dezembro de 2002 e regulamentado este ano, pelo decreto 1.029 de 3 de abril.

O coordenador da Coordenação da Administração Financeira do Estado (Cafe), Cesar Ribeiro Ferreira, explicou que antes da criação do fundo, qualquer benefício pretendido pelo Corpo de Bombeiros teria que ser retirado da conta geral do Estado. Muitas vezes era necessário escolher entre os bombeiros, ou uma creche, por exemplo. “Agora tudo que é arrecadado pelos bombeiros é utilizado em benefício da corporação”, explicou Ferreira, destacando que um conselho de administração do fundo, que tem como presidente o secretário de Segurança do Estado, é quem gerencia os recursos do FUNCB.

Serviços

Os bombeiros das 46 cidades do Estado onde a corporação tem sede própria estão cobrando por serviços como: emissão de certidão de ocorrência, palestras, vistoria fora das 46 cidades, análise do projeto de prevenção de incêndio, credenciamento de empresas que combatem incêndios, perícias, entre outros. Há algumas isenções, como pessoas comprovadamente com renda baixa, entidades sindicais, colégios públicos e prédios públicos. “Os recursos serão investidos em carros, equipamentos de proteção etc. O custo do Corpo de Bombeiros hoje é muito alto, uma escada magirus, por exemplo custa US$ 1,5 milhão. Hoje só temos uma funcionando em boas condições em todo Estado”, contou o tenente Gelson Marcelo Jahnke, da assessoria de Fundos Especiais do Corpo de Bombeiros.

Ele salientou que shows e eventos esportivos ficaram livres das cobranças. “Inicialmente eles estavam no projeto, mas caso similar aconteceu no Ceará e lá a cobrança foi proibida”, lembrou, destacando que o importante é salientar que o dinheiro arrecadado será usado para melhorar a segurança no Paraná.