Ontem, em todo o País, foram realizadas comemorações em homenagem ao Dia Nacional do Bombeiro. Em Curitiba, durante toda a manhã, no quartel da Rua Nunes Machado, sargentos, oficiais, praças e soldados participaram de uma série de solenidades.

As pessoas que passavam pelo local, assim como amigos e familiares dos bombeiros, tiveram a chance de assistir a desfiles, apresentações da banda da Polícia Militar do Paraná e presenciar uma exposição de materiais operacionais de combate a incêndios urbano e rural, salvamento aéreo, terrestre e atendimento pós-hospitalar.

Porém a grande atração foi uma simulação de acidente. Bombeiros e integrantes do grupo de enfermagem do Colégio Rui Barbosa representaram uma explosão em um laboratório clandestino com múltiplas vítimas. Foram simuladas táticas de primeiros socorros, verificação de área, triagem de vítimas, combate à incêndio e descontaminação.

“A simulação faz parte dos treinamentos mensais que os bombeiros recebem”, revelou o capitão do setor de planejamento do 1.º Grupamento de Bombeiros da Capital, Wellington José Vieira Lipta. “Se a situação fosse real, dependendo da localidade de ocorrência do acidente, de cinco a sete minutos para chegar e começar a prestar os primeiros socorros. Também contariam com o apoio da PM, que isolaria a área, e da Diretran, que organizaria o trânsito nas proximidades do local.”

Atualmente, estão em atividade em toda a Região Metropolitana de Curitiba cerca de novecentos agentes do Corpo de Bombeiros. Em média, na capital, eles atendem de quarenta a sessenta ocorrências por dia, a maioria na área de atendimentos pré-hospitalares. No Brasil, o Corpo de Bombeiros foi organizado no dia 2 de Julho de 1856, pelo Decreto Imperial 1775, assinado por dom Pedro II, no Rio.