Quinze quilômetros de remo e técnica, mesclando a emoção nas fortes corredeiras com orientação especializada. Foi assim, com esforço e habilidade, que os mais de 20 bombeiros militares de Castro e Telêmaco Borba se integraram aos 11 bombeiros comunitários de Tibagi, na tarde desta quarta-feira (26), durante expedição pelo Rio Tibagi, coordenada pelo comandante do Posto de Bombeiros Comunitários local, cabo Antonio Portela.

Munidos de equipamentos de rafting, os oficiais e agentes da Defesa Civil partiram da Balsa na localidade de Pinheiro Seco e, quatro horas mais tarde, desembarcaram no Porto de Areia, na área central. “Vamos reconhecer o rio, olhar os pontos críticos, para quando acontecer um acidente estarmos preparados”, explicou o cabo Portela, minutos antes de embarcar num dos três barcos infláveis.

“De agosto do ano passado até hoje, 12 pessoas morreram afogadas em rios da região abrangida pelo Grupamento de Telêmaco Borba. Dez dessas mortes aconteceram no leito do Rio Tibagi”, relatou o comandante da unidade do BC local, para quem a atividade reforça conceitos de prevenção.

Para o soldado guarda-vidas Walter Luiz Saltes, do 2º Subgrupamento de Telêmaco Borba, as quatro temporadas que trabalhou junto aos bombeiros no litoral paranaense serviram como experiência para o salvamento de vítimas na água, mas, no rio, os procedimentos são diferentes. “Aqui podemos melhorar a aptidão física e conhecer as condições do Tibagi”, disse, acrescentando que em águas doces normalmente não há tempo para o salvamento e o trabalho do bombeiro acaba sendo de prevenção e resgate.

O tenente Jorge Augusto Ramos, comandante do 2º SGB, aponta várias finalidades para a expedição. “Além da integração entre os efetivos, principalmente entre bombeiros militares e comunitários, há uma troca de experiências, repasse de técnicas e o próprio trabalho conjunto. O trabalho de emergência não se faz só na hora da própria emergência, inicia-se e se mantém com constantes treinamentos de técnica e tática”, argumentou.

Edson Martins e Luciano Santos são bombeiros comunitários de Tibagi, denominados como agentes de Defesa Civil, e já estão habituados com as ocorrências em água. “O rio está cheio e isso facilita o percurso para o reconhecimento, para ver as áreas de risco. Além disso, adquirimos mais conhecimento com os bombeiros militares, que são mais experientes”, disse Edson.

Para Luciano, o importante é estar preparado, uma vez que o município é um polo turístico e recebe muitos visitantes na temporada de verão. “Faremos o mesmo trajeto que turistas costumam percorrer no rio”, lembrou.

A descida – O grupo foi acompanhado por instrutores da empresa Águas Vivas, capacitados em técnicas de salvamento. Alain Joundant, que criou a empresa há quatro anos, repassou as principais orientações aos participantes da expedição, como a forma apropriada de usar equipamentos de segurança. Joundant destacou a experiência de seu grupo de instrutores, composto por atletas da seleção brasileira de canoagem e das equipes de resgate e salvamento de competições internacionais.

Gilberto Carvalho é um dos instrutores que integra o quadro de segurança de eventos em água, inclusive do Campeonato Mundial de Canoagem, e ficou responsável por detalhar aos bombeiros as principais instruções de resgate em rios.

Durante o percurso, Gilberto apontou características da flora e explicou sobre o nível das corredeiras que, no rio Tibagi, numa escala de 1 a 6, atinge a média de 3,5 pontos – caracterizando risco médio. Ao passar por uma draga para retirada de areia, Gilberto reuniu os três barcos e explanou sobre riscos do mergulho profissional na exploração do fundo do rio. Ele informou que o Tibagi chega a ter mais de 20 metros de profundidade em alguns pontos.

Dois canoístas acompanharam a atividade, registrando imagens e, com um equipamento GPS, realizaram um mapeamento do leito, registrado em terra pela base de operações da empresa Águas Vivas, incluindo fotos de satélite. Uma parte da equipe dos bombeiros também acompanhou o roteiro pelas estradas no entorno do rio.

Comemoração – A atividade também foi comemorativa ao aniversário do posto do BC, implantado em 04 de setembro do ano passado. Outras ações, agora envolvendo a comunidade, serão programadas nesta semana.
O Posto de Bombeiros Comunitários de Tibagi atua na prevenção e combate a incêndios ambientais, residenciais e prevenção a acidentes. Os 11 servidores públicos cedidos para o trabalho como bombeiro no município vêm sendo treinados há um ano e muitos já têm curso de socorrista para atender emergências, como acidentes de trânsito.

O BC também faz parte da Defesa Civil e atua na orientação da população em várias situações. Em Tibagi, o Posto de Bombeiros Comunitários atende pelo telefone 199.