Desde o início da semana, o Bondinho da Rua XV, no centro de Curitiba, passa por obras de revitalização. O local, considerado um dos referenciais mais populares, será adaptado para abrigar um novo espaço de leitura na capital. A intenção é transformar o espaço num posto de atendimento para empréstimo de livros sem burocracia, como já funciona a Estação da Leitura, no Terminal do Pinheirinho.

De acordo com a Fundação Cultural de Curitiba (FCC), a iniciativa faz parte do programa Curitiba Lê, que visa melhorar os índices de leitura entre crianças, jovens e adultos. As obras do “Bondinho da Leitura” se estenderão por três meses. Segundo a diretora de ação cultural da FCC, Luci Daros, o projeto prevê a recuperação de portas, janelas e estruturas metálicas, pintura original e adaptação do espaço. “Será feita ainda uma adaptação interna para que o local possa receber essa nova função. Serão fixadas estantes para livros, rede de computadores e espaços confortáveis para que as pessoas possam ter acesso aos livros”, afirma.

Com o Bondinho já adaptado, Luci lembra que quem circular pelo calçadão poderá emprestar livros de forma simples e gratuita, bastando apresentar um documento de identificação e informar o endereço. “Essa adaptação foi incluída no projeto Curitiba Lê, já que o fluxo grande de pessoas naquela região é muito grande e o Bondinho é um referencial da cidade”, complementa.

Descontentes

A adaptação do tradicional Bondinho da Rua XV não agradou a todos. Para Irene Silva, proprietária de uma banca de revistas instalada em frente ao bonde, deveria ser implementado um ponto de informações turísticas no local. “Sempre vemos pessoas de outros lugares que param para tirar fotos em frente do bondinho e ficam perdidos porque não há informação. Biblioteca temos a maior do Paraná há 50 metros daqui”, diz.

Para a advogada Luanna Martins Turin, o ideal seria incumbir no local um profissional de turismo. “Na certa um turismólogo, que domine outros idiomas”, sugere. Luana admite, no entanto, que a ideia de um espaço de leitura lhe agrada. “Tem que ver como isso será divulgado. Não adianta ter o espaço sem que as pessoas saibam o que funciona ali e se a locação dos livros será gratuita”, afirma.

A diretora de ação cultural da FCC, Luci Daros, revela que um possível posto de informações turísticas chegou a ser sugerido para o reaproveitamento do Bondinho, mas essa hipótese que não prosperou. A Secretaria Municipal de Turismo informou que as informações turísticas estão centralizadas no Palacete Wolf, que fica no Largo da Ordem. Segundo o órgão, a cidade já conta com nove postos de informações para turistas, dotados com atendentes bilíngües.