Guarapuava – O prefeito de Guarapuava, Vitor Hugo Burko, assinou nove contratos para criação e ampliação de empresas em Guarapuava. A solenidade aconteceu no auditório da Prefeitura, nesta quinta-feira (23/09), com a participação da classe empresarial. O ato representa investimentos de R$ 5.947.400,00, o equivalente a geração de 465 empregos diretos e outros 208 indiretos, predominando o setor madeireiro, seguido pela indústria de confecção.

Os empreendimentos estão distribuídos em distritos industriais da cidade. Uma das empresas contempladas é a Associação de Ensino Novo Ateneu/Faculdades Guarapuava. Criada há seis anos, a Instituição oferece cinco cursos de graduação, dois de pós-graduação, beneficiando 900 alunos e gerando 106 empregos diretos. A assinatura do contrato viabiliza a área para a construção da sede própria. Serão 107 mil metros quadrados, dos quais 12 mil de área construída. “Até dezembro de 2004 serão entregues oito mil metros quadrados num projeto arquitetônico modelo?, anunciou a diretora geral das Faculdades Guarapuava, Carmen Schimidt. “Ensino de qualidade é o retorno que estamos dando à comunidade de Guarapuava e é o reconhecimento pela parceria que temos com o Poder Público Municipal?, afirmou.

Para o empresário e coordenador regional da Federação das Indústrias do Estado do Paraná, Célio Teixeira Cunha, a parceria proposta pelo prefeito Vitor Hugo Burko inaugurou uma nova política em Guarapuava. “Não é possível promover o crescimento de uma região se não houver a união entre os segmentos, principalmente, os produtivos. E essa interação está sendo possível durante os governos do prefeito Vitor Hugo. Ele está tirando das nossas costas um pouco do peso da mochila colocada pelos governos do estado e da União?, explicou.

Segundo o líder empresarial, a diversificação de atividades viabilizada pelo programa “Bairros em Ação?, o incremento no ensino superior a partir da criação do Centro de Desenvolvimento Educacional e Tecnológico (Cedeteg), a união entre com a sociedade organizada são fatores fundamentais no processo de crescimento do município. “Daqui a 10 anos vamos experimentar um desenvolvimento muito grande a partir do que está sendo feito agora?, afirmou.

O empreendedor Silvio César Tagliario Brito, que veio de São Paulo para se instalar na cidade há seis meses, disse que o apoio recebido da administração municipal é muito importante. “Estamos gerando 132 empregos diretos e outros 50 indiretos e o município reconhece isso?, afirmou. Atuando no ramo de confecção, e absorvendo a mão-de-obra qualificada nos cursos do “Bairros em Ação?, Silvio já produz para a C&A, Lojas Riachuelo, Renner e Mariza, além exportar parte da produção.

Prefeito investe no talento local

Informações prestadas pela Secretaria Municipal de Indústria e Comércio mostram que Guarapuava possui cerca de seis mil empresas formais cadastradas pelo Censo Econômico. Se forem computadas as empresas informais, esse número salta para sete mil quando em 1998 – antes do prefeito Vitor Hugo Burko assumir a primeira de duas gestões consecutivas – não passavam de dois mil empreendimentos.

Segundo o secretário municipal de Indústria e Comércio, Sérgio Zarpellon, a receita é simples. “Houve uma política de repovoamento dos distritos industriais. As áreas que foram doadas sem nenhum critério de avaliação e cujo proprietário não pode investir, retornaram ao município e estão redistribuídas?, afirmou. “Criamos um ambiente favorável, criamos ativos e o empreendedor assume a sua parte?, observou.

Comemorando mais um momento de satisfação, o prefeito Vitor Hugo Burko lembrou que Guarapuava não tinha uma política de desenvolvimento econômico. Segundo o prefeito, a partir de investimentos no talento local o trabalho começou a ser diferenciado. “Conhecemos e articulamos os agentes, adequamos a legislação, criamos programas como o Bairros em Ação e o Nosso Lixo, revitalizamos distritos industriais existentes e criamos outros para suprir a demanda?, afirmou.

Burko observou também que Guarapuava experimenta uma fase de desenvolvimento, segundo ele, jamais vista na sua história, que pode ser comprovada a partir dos números compilados pela ONU, Ministério do Trabalho, Fundação Getúlio Vargas. “Guarapuava tem hoje uma economia diversificada que não depende mais de uma única atividade. Nunca mais teremos retrocesso pois estamos pavimentando os caminhos do desenvolvimento?, afirmou.