Um caçador regulamentado morreu ao levar um tiro no peito de um companheiro de caça, no sábado (30), no distrito de Triolândia, em Ribeirão do Pinhal, região norte do Paraná. Morador da Colônia Witmarsum, na cidade Palmeira, Campos Gerais, Natálio de Castro, 50 anos, chegou a ser levado ao hospital, mas não resistiu aos ferimentos. O responsável pelo tiro será indiciado por homicídio culposo, quando não se tem intenção de realizar o crime.  A arma utilizada foi apreendida.

+Leia mais! Garrafa pet, WhatsApp e mobilização fazem prédio de Curitiba exemplo de economia de água

Natálio fazia parte da equipe Diamante, grupo cadastrado ao Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (IBAMA). Os caçadores são regularizados, pois são considerados controladores de algumas espécies. Neste caso, o grupo percorria trilhas atrás de porcos do mato (javaporco). A vítima estava no meio de um milharal quando foi atingido por um tiro de arma calibre 12. Segundo informações, a visibilidade era ruim e o companheiro confundiu o amigo com o animal. Rapidamente, Natálio foi socorrido e encaminhado para um hospital da região, mas não resistiu. O filho de 21 anos estava no local e acompanhou toda a situação.

+Viu essa? Quatro postos de saúde de Curitiba abrem pra atendimento geral e crises respiratórias

O responsável pelo tiro e outros seis companheiros da equipe Diamante foram encaminhados para a Delegacia da Polícia Civil de Ribeirão do Pinhal. O autor do disparo irá responder por homicídio culposo, quando não se tem a intenção de matar. A arma utilizada foi apreendida e fará parte do inquérito policial.

LEIA MAIS – Rodízio em Curitiba e RMC vai até outubro: Sanepar apela pra economia de água


A Tribuna precisa do seu apoio! 🤝

Neste cenário de pandemia por covid-19, nós intensificamos ainda mais a produção de conteúdo para garantir que você receba informações úteis e reportagens positivas, que tragam um pouco de luz em meio à crise.

Porém, o momento também trouxe queda de receitas para o nosso jornal, por isso contamos com sua ajuda para continuarmos este trabalho e construirmos juntos uma sociedade melhor. Bora ajudar?