Indignados com a falta de ônibus adaptados em Curitiba, quatro cadeirantes bloquearam a passagem dos ônibus da linha Interbairros II, na altura da Cruz do Pilarzinho, na Rua Desembargador Hugo Simas, em Curitiba.

De acordo com os cadeirantes, uma espera de mais de duas horas sem que um ônibus com elevador para cadeira de rodas passasse pelo ponto foi o motivo do protesto, que deixou o fluxo de veículos lento no local.

Segundo a cadeirante Eva Terezinha dos Santos, o grupo de deficientes físicos voltava de um passeio na Universidade Livre do Meio Ambiente (Unilivre), quando, por volta das 12h, se pôs a esperar por um coletivo adaptado no sentido Terminal Campina do Siqueira.

Depois de passar pelo ponto o oitavo ônibus sem elevador, eles resolveram bloquear a passagem do veículo. “Isso é um descaso. Cada motorista que passava nos dizia para pegarmos o próximo”, relatou.

O tão esperado ônibus adaptado chegou somente por volta das 14h30. Com o veículo já disponível, os cadeirantes tiveram que enfrentar outro problema. Após os dois primeiros entrarem no ônibus, o elevador quebrou e a espera se estendeu por mais 20 minutos.

“Ficamos mais de duas horas esperando. Sempre acontece esse problema e a gente fica esperando igual trouxa”, desabafou o estudante Fábio de Oliveira Kitto. Ele, que é morador do Bairro Novo, afirma que a falta de veículos adaptados é mais visível em outros bairros.

Para o autônomo Joellington Cordeiro de Araújo, a acessibilidade já deveria ser realidade em todos os ônibus que compõem o sistema de transporte coletivo da capital. “Só queremos usufruir do nosso direito de ir e vir, que não está sendo respeitado”, disse.

A Urbanização de Curitiba S/A (Urbs), empresa que gerencia o sistema de transporte em Curitiba, informou que entre as 12h e às 14h, os ônibus adaptados partem do Cabral em direção ao Campina do Siqueira em três horários.

Segundo a Urbs, os ônibus podem não ter chegado ao ponto onde os cadeirantes estavam em função do próprio protesto, já que motoristas passaram a desviar o trajeto.

O órgão informou que, no terminal do Cabral, passam diariamente 31 ônibus adaptados na linha Interbairros II. Quanto à quebra do elevador, a Urbs ressaltou que uma equipe permanente realiza manutenção diária nos equipamentos dos ônibus e o caso foi atípico.

Segundo a Urbs, desde 2005, todos os ônibus que entram no sistema contam com elevador. Nos últimos cinco anos entraram na frota 1.120 ônibus zero quilômetro com todos os acessórios e equipamentos de acessibilidade previstos em lei. Com isso, a acessibilidade chega a 86% do número total de ônibus operando na Rede Integrada de Transporte.