Walter Alves / GPP
Walter Alves / GPP

Wamderbruck: Estado firmou
convênio com as prefeituras.

Uma boa opção para exercício físico e lazer. Um belo caminho de acesso à Estação Férrea do Véu da Noiva e ao Parque do Marumbi, rico pela Mata Atlântica da serra. Uma fonte de renda pelo ecoturismo. Isso é tudo o que poderia ser o Caminho de o Itupava, um dos cinco históricos da região, se não estivesse sem estrutura, segurança e danificado pela erosão. Apesar de o local atualmente ser lembrado somente pelos crimes, furtos e assaltos, existe uma tentativa de reversão desse quadro: um projeto de restauração, mas sem empresas na licitação.

?Foi feita uma licitação, mas, apesar da divulgação toda que fizemos, não teve empresa que apresentasse propostas. Então fizemos um convênio com as prefeituras de Quatro Barras e Morretes, para que elas abrissem licitações nos municípios. Em Quatro Barras já tem empresa ganhadora?, afirma Adilson Wamderbruck, coordenador técnico do componente de unidades de conservação, do Pró-Atlântica, da Secretaria de Meio Ambiente (Sema).

Como explica o técnico, para as prefeituras foi repassada a responsabilidade sobre recuperação do piso, cujo custo estimado seria de R$ 300 mil. Pela Sema, será aberta a licitação para a construção de pontes, de madeira e cabos de aço, sobre os sete rios do caminho, no valor de R$ 190 mil. ?Nunca foram feitas obras no local. Os investimento que fizemos foi a elaboração de um Plano de Uso e de uma Normativa de Uso. Agora estamos abrindo novamente licitação e vamos divulgar a ação mais intensivamente para que apareçam interessados?, afirma Wamderbruck.

Sem resultados nas licitações, não é possível avaliar para quando será a licitação. ?É um resgate histórico e um controle e preocupação ambiental. A idéia é conseguir transformar isso em uma caminhada interessante e segura e poder envolver as comunidades locais até com a geração de renda pela exploração do ecoturismo. Acredito que até o início do ano as obras estarão finalizadas, mas depende do clima e das empresas. O ideal seria aproveitar o momento de seca, não podemos deixar muito para o final do ano, por conta da chuva?, explica.

O Caminho do Itupava foi aberto, para atravessar a Serra do Mar, no começo da colonização do Paraná, pelos portugueses. Parte do caminho está em Quatro Barras, no distrito de Borda do Campo, passa pela Serra da Baitaca e Pico do Morumbi e vai até Morretes.