De acordo com um estudo realizado pela organização não-governamental (ONG) Criança Segura, o número de mortes de crianças de até 14 anos causadas por acidentes caiu 17% entre 2000 e 2007.

Mesmo assim, o órgão ressalta que os dados continuam alarmantes, já que os acidentes de trânsito e os domésticos continuam sendo a maior causa de morte de menores de 14 anos.

A Criança Segura quer aproveitar o próximo dia 30 de agosto Dia da Prevenção de Acidentes com Crianças para alertar a sociedade e ampliar o debate sobre o tema. De acordo com a ONG, em 2007, das 6,9 mil crianças de 0 a 14 anos que morreram por causas externas (acidentes e violência), 77% tiveram como causa os acidentes.

A entidade aponta que, em 2000, 6.656 crianças morreram vítimas de acidentes no País, o que equivale a uma taxa de 13,2 por 100 mil habitantes. Esse índice caiu para 5.324 mortes por acidentes em 2007 taxa de 11,02 por 100 mil. “Esse é um motivo a comemorar, mas sem esquecer que ainda há muito por fazer”, afirma Ingrid Stammer, coordenadora de projetos da Criança Segura.

Segundo Ingrid, o objetivo é sensibilizar a população no sentido da prevenção, já que 90% dos acidentes de trânsito, afogamentos, sufocações, queimaduras, quedas e intoxicações poderiam ser evitados.

“Vamos reforçar a necessidade da adoção de medidas preventivas. As pessoas tendem a acreditar que os acidentes são fatalidades. É isso que precisa mudar”, enfatiza.

Ações

A Criança Segura convida parceiros e instituições a aderirem à campanha. A ideia é que cada um organize uma ação para o dia 30 de agosto que tenha como foco o tema da prevenção dos acidentes com crianças. Mais informações no site www.criancasegura.org.br.

Em Curitiba, a ONG vai promover ainda uma oficina, em parceria com a Secretaria Municipal de Defesa Social, entre os dias 24 e 27 próximos. Serão 16 horas de palestras, que visam a capacitar guardas municipais da capital, os quais passarão a orientar alunos da Guarda Mirim.