Manifestantes fecharam parcialmente a BR-600, próximo ao km 6,8, na manhã desta terça-feira (10), em Foz do Iguaçu, na fronteira do estado. Segundo informações da Polícia Rodoviária Federal (PRF), centrais sindicais e integrantes do Movimento Sem-Terra realizaram um protesto contra o impeachment da presidente Dilma Rousseff.

A PRF acompanhou a manifestação para que a entrada dos funcionários da Usina de Itaipu fosse liberada. Cerca de 200 manifestantes estiveram no local. Depois, eles se dirigiram para a Ponte da Amizade, que liga o Brasil ao Paraguai. Eles chegaram à ponte por volta de 10 horas da manhã, encerrando o protesto por volta do meio-dia. Agentes da PRF, da Polícia Federal, da Força Nacional e da Guarda Municipal impediram o bloqueio total da ponte, mas, com a interdição parcial, houve com lentidão no fluxo sentido Paraguai. 

Na BR-158, em Peabiru, cerca de cem integrantes do Movimento de Luta pela Terra fecharam os dois sentidos da pista desde às 7h. A estrada só foi liberada por volta das 9h30. Porém, o trânsito ficou lento no local. Já na BR-376, em Palmeira, integrantes do MST ocuparam a praça de pedágio no quilômetro 538 a partir das 9h, deixando as cancelas abertas para passagem dos veículos sem pagamento da tarifa. O protesto foi encerrado por volta das 13 horas. 

A pista da BR-277, em Laranjeiras do Sul, foi totalmente interditada por cerca de 400 manifestantes. O protesto foi na praça de pedágio do km 464. Segundo a PRF, pouco antes das 15h25 as cancelas foram abertas e o fluxo foi liberado. 

Protestos continuam

Na BR-163, o protesto continua e acontece no Km 131, no município de Realeza. Lá, desde às 11h30, cerca de 200 manifestantes do Movimento dos Atingidos por Barragens (MAB) bloqueiam totalmente a rodovia, na cabeceira da ponte do Rio Iguaçu.