Orlando Kissner/SMCS
Projeto evitará a superpopulação.

A Prefeitura de Curitiba começou o monitoramento das capivaras que vivem nos parques da cidade. A medida evitará a superpopulação e permitirá o controle da espécie no ambiente urbano. O trabalho envolve biólogos e veterinários do Zoológico Municipal, em parceria com a Universidade Federal do Paraná e Centro de Triagem de Animais Silvestres da Universidade Católica (Cetas). O objetivo é estudar as condições de saúde dos animais para fazer o manejo e controle de reprodução das capivaras urbanas.

O centro do projeto é o Parque Tingüi, onde existem hoje cerca de 300 capivaras. ?É uma população muito alta para o ambiente urbano, comprometendo as condições de vida dos próprios bichos e ameaçando a convivência harmônica entre os animais e a população?, diz o diretor do Zoológico de Curitiba, Marcos Traad. O projeto da Prefeitura foi registrado no Ibama.

Uma área especial dentro do parque está sendo preparada para abrigar os animais. Os tratadores do zôo estão levando alimentos para atrair as capivaras para coleta de amostras.